PUBLICIDADE
Topo

Frota fala sobre "aliança" com Maia e diz que Bolsonaro é "ilusionista"

4.jun.2019 - O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) discursa na Câmara dos Deputados - Luis Macedo/Câmara dos Deputados
4.jun.2019 - O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) discursa na Câmara dos Deputados Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Do UOL, em São Paulo

04/12/2019 11h42

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB) falou do cenário político após sua saída do PSL e de ter passado a opositor do governo Jair Bolsonaro, voltando a criticar o presidente. Entre os temas, ele defendeu a reeleição do líder da Câmara Rodrigo Maia (DEM) e evitou cravar um apoio a João Doria ou Bruno Covas nas eleições de 2022.

Frota disse à revista Época que se aproximou de Maia e que, se achar necessário, vai lutar pela sua reeleição no comando da casa.

"Me tornei aliado do Maia, fizemos um ótimo trabalho nas duas comissões das quais fui coordenador. Se ele tiver de ser reeleito, ele sabe que vai contar com meu voto. Foi o grande responsável para eu ir para o PSDB e foi a primeira pessoa que comuniquei quando fui expulso do PSL. Rodrigo me orientou na questão da expulsão, foi a pessoa que me deu segurança. Se não fosse para o PSDB, poderia estar no DEM hoje, com toda a certeza. Se ele tiver de ser reeleito, vou trabalhar para isso", disse Frota, à publicação.

Para o deputado, as chances de Doria entrar forte na briga pela presidência passam por uma aproximação do povo e uma modernização do PSDB. Questionado se o governador de São Paulo venceria Bolsonaro, avaliou:

"Se Doria trabalhar para o Brasil como está trabalhando em São Paulo, se ele se aproximar do povo brasileiro, fizer desse novo PSDB um PSDB moderno, digital, jovem, que não fique no muro, que se posicione. Acho Doria um grande gestor, tem mostrado isso no governo dele e tem tudo que Bolsonaro não tem: educação, conhecimento, estudo, dignidade, sabe trabalhar, olha para o futuro e sabe comandar. Doria realmente é muito a cara de São Paulo, mas pode mudar esse quadro. Bolsonaro se tornou a cara do autoritarismo, do fascismo, da burrice, da velha política. Bolsonaro é ilusionista, mentiroso, trabalha para o maior charlatão do Brasil, Olavo de Carvalho, que nem pode vir ao Brasil. Bolsonaro tem um governo ideológico, só governa para amigos e familiares. Assumo que foi um erro pedir voto e votar nessa figura."

Apesar da fala, não cravou o apoio: "João nunca me falou que será candidato a presidente, está tudo indefinido. Não falo com ele há muito tempo, não sei o que pretende, ele anda muito ocupado e sumido. Mas ele precisa falar com no povo primeiro. Gosto muito dele, mas sinceramente não sei de nada. Vou ver o que o partido vai decidir."

O deputado afirmou que se vê com liberdade de tomar suas próprias decisões. "Vou apoiar quem eu achar que tenho de apoiar. Assim como no PSL, no PSDB não tenho um diretório, não tenho cargos, não foi dado a mim direito nem de dirigir o PSDB da minha cidade, só para ter uma ideia."

Por fim, Frota respondeu se ainda é visto como um ex-ator pornô pelos seus pares na Câmara.

"Sim, eu fui, mas isso não me incomoda. Foi um trabalho, não fiz nada de errado, não fui corrupto, não corri com dinheiro na cueca, não fui acusado de pegar dinheiro no BNDES, não roubei o povo brasileiro. Às vezes, parece que ninguém nunca viu um p... e uma b.... Ultimamente quem mais tem me chamado de ator pornô é o Eduardo Bolsonaro, como falei. Parece que se tornou fã do segmento. Acho tudo um falso moralismo. Preconceitos. Onde errei? Trabalhei, paguei impostos e ajudei muita gente. Não vou apagar esse passado, tenho de viver o presente. Quem não quiser não assiste. Até a secretária do Olavo me pediu três vídeos", disse ele.

Olavo de Carvalho respondeu no Twitter:

Ouça o podcast Baixo Clero com análises políticas de blogueiros do UOL.

Os podcasts do UOL estão disponíveis no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política