PUBLICIDADE
Topo

Política

O que é energúmeno, termo usado por Bolsonaro para ofender Paulo Freire?

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto - ADRIANO MACHADO
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto Imagem: ADRIANO MACHADO

Cleber Souza

Do UOL, em São Paulo

16/12/2019 15h44Atualizada em 16/12/2019 19h14

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou, nesta segunda (16), o educador Paulo Freire de "energúmeno". Ele também defendeu o fim do contrato do governo com a Acerp (Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto), responsável por gerir a TV Escola.

Segundo o Houaiss, o termo energúmeno tem três significados. E é o terceiro deles o mais comumente empregado no Brasil, provavelmente o utilizado pelo presidente da República.

  1. No Cristianismo primitivo, indivíduo possuído pelo demônio; possesso, endemoniado.
  2. Pessoa que age com violência, de forma irracional, brutal; desequilibrado, desatinado.
  3. Indivíduo ignorante; boçal, imbecil.

"Tem muito formado aqui em cima dessa filosofia do Paulo Freire. Esse energúmeno aí, ídolo da esquerda", disse Bolsonaro hoje.

Pedagogo e Filósofo, Freire foi nomeado em 2012 patrono da educação brasileira e autor do método de alfabetização que completou 50 anos em 2013. Também está entre os pensadores mais citados do mundo.

O educador é estudado em universidades americanas, homenageado com escultura na Suécia, nome de centro de estudos na Finlândia e inspiração para cientistas em Kosovo. Seu livro Pedagogia do Oprimido, escrito em 1968, é o terceiro mais citado em trabalhos acadêmicos da área de humanidades em todo o mundo.

Após a publicação desse livro, Freire foi convidado para ser professor visitante na Universidade Harvard, nos Estados Unidos. O seu método chegou a ser adotado pelo governo João Goulart em esforços para a alfabetização de adultos. Com a ditadura militar, passou a ser perseguido, foi preso por 70 dias e viveu no exílio na Bolívia e no Chile.

Política