PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Bolsonaro assina MP para aumentar salário de policiais de Brasília

Da esquerda para a direita: O senador Izalci Lucas (PSDB-DF), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o governador do DF Ibaneis Rocha (MDB), ex-deputado Alberto Fraga (DEM), ministro Jorge Oliveira e secretário de Segurança Anderson Torres - Reprodução
Da esquerda para a direita: O senador Izalci Lucas (PSDB-DF), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o governador do DF Ibaneis Rocha (MDB), ex-deputado Alberto Fraga (DEM), ministro Jorge Oliveira e secretário de Segurança Anderson Torres Imagem: Reprodução

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

24/12/2019 18h12

Um dia depois de assinar decreto que concede indulto natalino a policiais condenados por crimes não-intencionais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a fazer um aceno para a categoria.

Ele assinou uma Medida Provisória que concede aumento de 8% nos salários de policiais militares, bombeiros e policiais civis do Distrito Federal nesta terça-feira (24), segundo informaram o governador de Brasília, Ibaneis Rocha (MDB) e o secretário de Segurança da capital, Anderson Torres.

Segundo eles, o presidente incluiu na Medida Provisória a permissão para que o Fundo Constitucional do Distrito Federal - que é mantido com dinheiro da União - seja administrado pelo próprio governo local. Ibaneis contou aos jornalistas que, além de pagar salários de policiais, professores e profissionais de saúde, os recursos poderão ser usados para fazer investimentos.

Também foi assinada uma proposta de Emenda à Constituição (PEC) para tratar do fundo, de acordo com Ibaneis. Todos os anos, o Distrito Federal recebe R$ 14 bilhões da União para investir em saúde, educação e segurança pública. No ano que vem, o Fundo vai subir para até R$ 16 bilhões, de acordo com Ibaneis.

O governador disse que a intenção é fazer o dinheiro ser dividido em proporção maior para a segurança pública. A ideia é que 60% fique com essa área e os 40% sejam divididos entre a saúde e a educação.

Na segunda-feira (23) à noite, Bolsonaro sofreu uma queda. Internado, ele teve alta nesta quarta-feira pela manhã.

Visitas após alta hospitalar

Depois de voltar do hospital, Bolsonaro passou o dia em casa, no Alvorada, onde recebeu políticos e assessores.

Ele se reuniu com o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Jorge Oliveira, pela manhã. Também recebeu o vice-presidente Hamilton Mourão perto da hora do almoço, que saiu uma hora depois.

Outra visita foi a do ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Augusto Heleno.

Política