PUBLICIDADE
Topo

Heleno sugere bafômetro a Freixo por defesa da descriminalização de drogas

10,jul.2019 - General Augusto Heleno, chefe do GSI, durante audiência na Câmara dos Deputados - FÁTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
10,jul.2019 - General Augusto Heleno, chefe do GSI, durante audiência na Câmara dos Deputados Imagem: FÁTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

07/01/2020 11h39Atualizada em 07/01/2020 14h13

O ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, disse hoje que o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) "merecia um exame de sanidade mental seguido de bafômetro" por defender a descriminalização de porte de drogas para consumo próprio.

A crítica de Heleno foi feita no Twitter, quando o ministro compartilhou um vídeo do parlamentar pedindo uma mobilização para o julgamento sobre o tema no STF (Supremo Tribunal Federal). A questão seria analisada em 2019, mas foi adiada por causa do julgamento sobre a validade da prisão após condenação em segunda instância.

"Dep Federal MARCELO FREIXO/PSOL/RJ. Uma pregação inacreditável. Merece um exame de sanidade mental, seguido de bafômetro. Os pais, que ainda pretendem educar seus filhos no caminho do bem precisam reagir", escreveu Heleno.

No vídeo, Freixo argumenta que "a guerra às drogas significa a guerra aos lugares mais pobres, superlotação da população carcerária, aumento de homicídios e aumento de agentes públicos mortos."

Em 2015, quando o recurso começou a ser julgado, três ministros votaram a favor da descriminalização do porte da maconha, ainda que com alguns limites e diferenças entre os votos: Luiz Edson Fachin, Luís Roberto Barroso e o relator do caso, Gilmar Mendes. Ainda falta a manifestação de oito ministros.

Política