PUBLICIDADE
Topo

Por onde andam os "atores" do documentário brasileiro indicado ao Oscar?

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Documentário de Petra Costa foi indicado para a disputa do Oscar
  • Filme tem como tema o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT)
  • Premiação americana irá anunciar os vencedores em 9 de fevereiro

A indicação do brasileiro "Democracia em Vertigem" ao Oscar de Melhor Documentário causou rebuliço nas redes sociais na segunda-feira (13). Entre a comemoração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e críticas públicas do PSDB, até o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu pitaco sobre a presença da obra da diretora Petra Costa na premiação americana, que apresentará os vencedores no dia 9 de fevereiro.

Não por coincidência, todos eles são personagens centrais do documentário que narra, em primeira pessoa, o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016.

Como Bolsonaro e Lula, grande parte dos figurões do longa, lançado em junho de 2019, continua a agitar o cenário nacional, mas em posições totalmente diferentes das retratadas à época.

Confira por onde andam os principais personagens de "Democracia em Vertigem":

28.out.2018 - A ex-presidente Dilma Rousseff comparece ao discurso candidato derrotado à Presidência da República, Fernando Haddad, após discurso para a militância no hotel Pestana, na região centro-sul de São Paulo - Lucas Lima/UOL/Folhapress - Lucas Lima/UOL/Folhapress
Imagem: Lucas Lima/UOL/Folhapress

Dilma Rousseff

  • Papel no documentário: presidente impedida

Dilma é a protagonista do documentário, que narra da sua eleição ao seu processo de impeachment, tema central do longa.

  • Onde está hoje: sem cargo político

Em outubro de 2018, dois anos depois de impedida, Dilma concorreu ao Senado Federal pelo PT em Minas Gerais, mas não foi eleita.

lula - Adriano Machado - 17.nov.2019/Reuters - Adriano Machado - 17.nov.2019/Reuters
Imagem: Adriano Machado - 17.nov.2019/Reuters

Lula

  • Papel no documentário: ex-presidente influente e braço-direito de Dilma

Figura mais popular do meio político nacional à época, Lula é o principal coadjuvante do documentário, que narra da sua ascensão à presidência, em 2002, à sua prisão, em 2018.

  • Onde está hoje: livre, mas condenado

O documentário acaba (alerta spoiler!) com a prisão do ex-presidente, em abril de 2018. Em novembro de 2019, ele foi solto após uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre condenações em segunda instância. Lula tem rodado o país e participado de atividades do partido.

Michel Temer - Alan Santos/PR - Alan Santos/PR
Imagem: Alan Santos/PR

Michel Temer

  • Papel no documentário: presidente em exercício

Vice de Dilma desde o primeiro mandato, Temer (MDB) é praticamente o vilão do longa. Seu partido atuou contra o governo da petista, e ele assumiu a Presidência após o impedimento da titular.

  • Onde está hoje: sem cargo político

Temer somou dois anos e meio de mandato e decidiu não concorrer à reeleição em 2018. Três meses após deixar o cargo, em março de 2019, foi preso pela Operação Lava Jato sob a suspeita de receber propina, mas foi solto após quatro dias.

eduardo cunha - Wilton Junior - 31.mai.2019/Estadão Conteúdo - Wilton Junior - 31.mai.2019/Estadão Conteúdo
Imagem: Wilton Junior - 31.mai.2019/Estadão Conteúdo

Eduardo Cunha

  • Papel no documentário: presidente da Câmara dos Deputados

Antigo aliado do PT, Cunha (MDB-RJ) foi o presidente que conduziu o processo de impeachment de Dilma na Câmara dos Deputados. Ele votou pelo impedimento.

  • Onde está hoje: preso

Poucos meses depois do processo, em outubro de 2016, Cunha foi preso por desvios envolvendo a Caixa Econômica Federal. Na cadeia desde então, ele teve o habeas corpus negado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) em novembro do ano passado.

Aécio - Pedro Ladeira/Folhapress - Pedro Ladeira/Folhapress
Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Aécio Neves

  • Papel no documentário: senador opositor

Derrotado por Dilma em 2014, Aécio Neves (PSDB-MG) foi a principal voz pelo impedimento da ex-presidente no Senado Federal.

  • Onde está hoje: deputado federal

Envolvido em escândalos de corrupção, Aécio teve de "rebaixar" seu status no cenário político nacional e decidiu abrir mão de sua vaga no Senado para concorrer à Câmara. Foi eleito com quase 107 mil votos.

Ficção e porcaria, diz Bolsonaro sobre filme brasileiro indicado ao Oscar

UOL Notícias

Jair Bolsonaro

  • Papel no documentário: deputado federal

Bolsonaro (então PSC) era um dos deputados opositores do governo petista. Ele aparece como uma figura caricata, que ostenta os quadros dos ditadores brasileiros na sala na Câmara.

  • Onde está hoje: presidente da República

Em outubro de 2018, Bolsonaro saiu de azarão a vencedor nas eleições presidenciais. Ele derrotou Fernando Haddad (PT), apoiado por Dilma, no segundo turno. Assumiu a cadeira em janeiro de 2019.

Sergio Moro - REUTERS/ANDRE COELHO - REUTERS/ANDRE COELHO
Imagem: REUTERS/ANDRE COELHO

Sergio Moro

  • Papel no documentário: juiz federal

À frente da Operação Lava Jato, Moro é o representante do Judiciário no filme. Ele é responsável pela condenação de Lula e de outros processos que ajudaram a culminar na perda de popularidade do governo e apoio ao PT.

  • Onde está hoje: ministro da Justiça e Segurança Pública

Em novembro de 2018, após a eleição de Jair Bolsonaro, o então juiz federal anunciou que deixaria a magistratura para integrar o quadro do novo governo.

José Eduardo Cardozo - Bruno Santos - 14.ago.2017/Folhapress - Bruno Santos - 14.ago.2017/Folhapress
Imagem: Bruno Santos - 14.ago.2017/Folhapress

José Eduardo Cardozo

  • Papel no documentário: advogado de Dilma

Ministro da Justiça de Dilma entre 2011 e 2016, Cardozo deixou a pasta para assumir a AGU (Advocacia Geral da União) e defender a então presidente no processo de impeachment.

  • Onde está hoje: sem cargo público

Depois de sair do governo, Cardozo fundou, em 2017, um escritório de advocacia com atuação em Brasília e no Rio de Janeiro.

Marcelo Odebrecht - Eduardo Knapp - 5.dez.2019/Folhapress - Eduardo Knapp - 5.dez.2019/Folhapress
Imagem: Eduardo Knapp - 5.dez.2019/Folhapress

Marcelo Odebrecht

  • Papel no documentário: empresário corruptor

Odebrecht presidiu a construtora que leva o sobrenome da família durante seu auge financeiro, entre 2008 e 2015. Ele deixou a presidência depois de seu nome aparecer na Operação Lava Jato e ser preso em março de 2016.

  • Onde está hoje: prisão domiciliar

Odebrecht foi liberado da prisão em dezembro de 2017 e, com pena reduzida por causa da delação premiada, foi para a prisão domiciliar.

Simão sobre filme brasileiro no Oscar: minions em vertigem!

Band News

Política