PUBLICIDADE
Topo

Eduardo Bolsonaro diz que Cid Gomes expôs militares ao risco; Ciro rebate

Do UOL, em São Paulo

19/02/2020 19h42Atualizada em 20/02/2020 09h17

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que o senador Cid Gomes, que foi baleado hoje no Ceará, teve uma "atitude insensata" ao tentar invadir um quartel da PM.

"[Ele] Tenta invadir o batalhão com uma retroescavadeira e é alvejado com um projétil de borracha. É inacreditável que um Senador da República lance mão de uma atitude insensata como essa, expondo militares e familiares a um risco desnecessário em um momento já delicado.

Informações preliminares divulgadas por jornais locais davam conta de que Cid Gomes havia sido atingido por um tiro de borracha, o que foi desmentido. A assessoria do senador confirmou que o disparo partiu de uma arma de fogo.

O ex-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT), irmão de Cid, rebateu a declaração no Twitter. "Deputado Eduardo Bolsonaro, será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o Estado do Ceará como os canalhas de sua família fizeram com o Rio de Janeiro."

Bolsonaro ainda retrucou o comentário do pedetista: "Nem 4 horas que o irmão foi alvejado após tentar atropelar dezenas de policiais, mulheres e crianças com uma retroescavadeira, e o coroné já usa o caso pra fazer política. Talvez porque, a essa altura, só assim consegue ter relevância. Patético."

Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), vereador do Rio de Janeiro, também se manifestou, e disse na mesma rede social que o que mata são pessoas e não as armas.

"Democraticamente estou desarmado, mas vou passar com um trator em cima de você. Aceite, ou senão é ditadura! O que mata não são armas de fogo legais, mas a pessoa que está disposta a cometer o crime, seja com que ferramenta for", escreveu Carlos.

Entenda o caso

O senador foi baleado hoje à tarde em Sobral, no interior do Ceará, em meio a um protesto de policiais militares. O político pilotava uma retroescavadeira e tentava furar o bloqueio de policiais que reivindicam aumento salarial.

O senador foi transferido para a Santa Casa de Misericórdia de Sobral no início da noite de hoje. Segundo a assessoria do Hospital do Coração de Sobral, para onde Cid foi levado inicialmente, o senador foi atingido por dois projéteis: um entrou na clavícula e saiu e outro o atingiu no pulmão esquerdo.

Seu quadro é estável após drenagem de pneumotórax, e o cardiograma não demonstrou comprometimento das cavidades cardíacas. O senador passará por uma tomografia na Santa Casa, mas está "conversando e tranquilo" segundo a equipe médica.

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do informado no texto, Carlos Bolsonaro é filiado ao PSC, e não sem partido. A informação foi corrigida.
Diferente do informado no texto, Eduardo Bolsonaro é filiado ao PSL, e não sem partido. A informação foi corrigida.

Política