PUBLICIDADE
Topo

Solidariedade expulsa vereador por participar de ação que baleou Cid Gomes

O vereador Sargento Ailton - Reprodução/Facebook
O vereador Sargento Ailton Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL

21/02/2020 13h47

O Solidariedade anunciou, na manhã de hoje, a expulsão do vereador Sargento Ailton do partido.

A decisão foi tomada pela direção nacional e pelo diretório estadual do Solidariedade, depois que o vereador eleito em Fortaleza participou do motim de policiais militares na última quarta-feira (18), que terminou com o senador Cid Gomes baleado.

"O parlamentar foi flagrado como um dos líderes do motim de policiais que causaram o confronto e baleou o senador Cid Gomes", explica o partido, em nota. "Essa decisão vem mostrar que não compactuamos com ações que violentem e agridem a democracia".

O Solidariedade disse que "não permite que seus filiados tomem frente de ações que podem prejudicar a população" e classificou a participação de Aílton na ação como "inadmissível".

Sargento Ailton é ligado a movimentos de direita, se engajou na campanha do presidente Jair Bolsonaro e participa de atos de apoio a ele no estado ao menos desde 2017.

O partido seguiu repudiando o motim: "Nós não trabalhamos com militância do terror que causam a depredação do patrimônio de pessoas e não podemos aceitar que policiais e agentes públicos, encapuzados e armados como milicianos, levem o terrorismo às ruas".

Por fim, afirmou que não voltará atrás na decisão.

Entenda o caso

Sargento Ailton estava na espécie de trincheira improvisada pelos policiais no batalhão da cidade no momento em que o senador foi baleado. À frente da manifestação, era um dos poucos presentes que não estavam encapuzados.

Instantes antes de os tiros serem disparados, o vereador — que é sargento da Polícia Militar do Ceará — bateu boca com Cid, que chegou a tentar agarrá-lo pela camisa.

Ativo nas redes sociais, Sargento Ailton fez transmissões ao vivo no Facebook durante o ato de quarta-feira (18). Em uma das transmissões, gravava a retroescavadeira usada por Cid Gomes quando o senador foi baleado.

Imagens obtidas pelo jornal Diário do Nordeste, do Ceará, mostram que ao menos três homens atiraram contra o senador. Dois deles estavam próximos a Sargento Ailton, na primeira fileira de manifestantes.

Antes do tumulto, o vereador havia gravado outra live onde ironizou Cid Gomes, que já havia anunciado sua ida ao local. Ele disse que não havia policiais armados no piquete.

"Estão todos desarmados, ninguém quer confronto. Sei que ele quer tirar a nossa situação de ânimo para que a gente possa revidar, mas ele não vai encontrar isso", afirmou.

Cid Gomes é baleado durante ato da PM

Política