PUBLICIDADE
Topo

Após criticas por discurso, Bolsonaro volta a pedir reabertura do comércio

24.mar.2020 - O presidente Jair Bolsonaro, em pronunciamento exibido em rede nacional - Isac Nóbrega/PR
24.mar.2020 - O presidente Jair Bolsonaro, em pronunciamento exibido em rede nacional Imagem: Isac Nóbrega/PR

Do UOL, em São Paulo

25/03/2020 08h19

Após as criticas pelo discurso feito ontem em rede nacional, o presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que o comércio deve ser reaberto.

"38 milhões de autônomos já foram atingidos. Se as empresas não produzirem não pagarão salários. Se a economia colapsar os servidores também não receberão. Devemos abrir o comércio e tudo fazer para preservar a saúde dos idosos e portadores de comorbidades", escreveu o presidente em seu perfil do Facebook.

Junto com o texto, o presidente postou um vídeo que fala sobre as próximas medidas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e que ele iria reabrir o país. O presidente não cita a fonte do vídeo.

Ontem, o presidente fez um pronunciamento a todo o país no qual ele voltou a minimizar a pandemia do novo coronavírus doença, classificando a doença como uma "gripezinha" e "resfriadinho". Ele também criticou governadores e prefeitos que adotaram medidas de restrição à circulação para tentar conter o avanço do vírus.

A fala foi alvo de críticas dos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e de outras autoridades, que criticaram as orientações de Bolsonaro, contrárias ao que vem sido dito pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Um pouco depois da postagem, ele usou outra rede social para reafirmar que "se a política de isolamento continuar teremos o caos e o vírus juntos".

Coronavírus