PUBLICIDADE
Topo

Doria é símbolo do oportunismo em crise do coronavírus, diz Olímpio

Do UOL, em São Paulo

09/04/2020 13h59Atualizada em 09/04/2020 14h49

O senador Major Olímpio (PSL-SP) disse hoje que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), é o "símbolo" do "oportunismo" que tem aparecido no país em meio à crise do coronavírus.

"O João Doria, em São Paulo, é um símbolo desse oportunismo. Ele fala demais e realiza de menos", disse o senador durante sua participação no UOL Debate de hoje. Olímpio afirmou, ainda, que Doria "inverte" uma lógica da administração e que investe 90% em publicidade e 10% na realização efetiva de medidas.

Procurado pelo UOL, o governador afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que "desconhece o que o senador fez em 16 meses de mandato". "O governador está focado no combate da pandemia, minimizando os impactos e ajudando os brasileiros de São Paulo a enfrentar esse período. Enquanto isso, o senador se preocupa em fazer política mesmo diante de 428 mortos no Estado", diz a nota enviada pela assessoria de Doria.

Doria e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) têm protagonizado embates públicos em meio à crise do coronavírus. Enquanto Bolsonaro defende o isolamento vertical e que pessoas que não fazem parte dos grupos de risco voltem a trabalhar, Doria se tornou o principal contraponto ao Planalto ao implementar quarentena no estado de São Paulo e defender o isolamento social.

Bolsonaro chegou a acusar Doria de tentar tirar proveito eleitoral da situação, pensando nas eleições de 2022. Em críticas indiretas ao presidente, o governador chegou a afirmar que pessoas que são contra o distanciamento social são, na verdade, contra a ciência e têm um pensamento "torpe e medíocre".

"O que eu quero afirmar: onde não há oportunismo, nesse momento, e a população precisa saber, é no Congresso Nacional", disse Olímpio.

"Eu tenho acompanhado as construções que têm sido feitas. Quando você ia ver relatoria [de projeto] do PT acolhendo as emendas de [outros] partidos e dizendo: nesse momento vamos fazer o que é melhor para o país? Ninguém discutindo se vai atrapalhar o presidente Bolsonaro ou o governo tal", completou.

Coronavírus