PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
12 meses

Marina Silva diz que "rei está nu": veja repercussão da saída de Moro

Do UOL, em São Paulo

24/04/2020 13h06

Sergio Moro, agora ex-ministro da Justiça, acabou de informar publicamente o seu pedido de demissão do governo de Jair Bolsonaro e a entrega do cargo já tem repercutido entre nomes da política brasileira.

Em seu pronunciamento, Moro reconheceu a autonomia que a Polícia Federal teve nos governos do PT e destacou a importância da operação Lava Jato. Ele deixou claro que discorda da exoneração do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, oficializada hoje.

Candidata à presidência nas últimas eleições, Marina Silva escreveu um texto no Twitter considerando "gravíssimas" as alegações contra Bolsonaro feitas por Moro em seu discurso de despedida e dizendo que o "rei está nu" em referência ao presidente. "O 'rei' está nu. Ele agora exibe a sua completa nudez da mínima vestimenta republicana, e a sua máscara moralista acaba de ser publicamente arrancada", escreveu.

Outro candidato das eleições de 2018, Ciro Gomes (PDT) também disse que o discurso de Moro expôs Bolsonaro.

O deputado estadual do partido Novo Fábio Ostermann, um dos fundadores do MBL, elogiou a atuação de Moro no Ministério da Justiça. "O Brasil precisa demais dele e do seu exemplo de respeito à democracia e ao Estado de Direito. Que descanse, se renove, reflita e retorne à vida pública na hora certa."

Já Alessandro Molon, líder do PSB na Câmara dos Deputados, destacou em seu perfil no Twitter que Moro deixou o cargo "expondo graves interferências de Bolsonaro" na gestão da Polícia Federal e "testemunhando sobre crimes de responsabilidade".

Na mesma linha, Joice Hasselmann, líder do PSL na Câmara, destacou que Moro não assinou a demissão de Valeixo, como consta no Diário Oficial da União de hoje e que isso pode se enquadrar em crime de falsidade ideológica.

Na oposição do governo atual, a deputada Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, declarou que o pronunciamento de Moro é uma "confissão de crimes e delação contra Bolsonaro".

"Moro tinha de sair da entrevista direto para depor na Polícia Federal", afirmou em seu perfil no Twitter.

Ex-apoiador de Bolsonaro, o cantor e compositor Lobão, que fez campanha para o atual presidente nas eleições de 2018, publicou que Moro resgata a honra com sua saída.

Nomes importantes ligados ao governo, como os filhos do presidente, ainda não chegaram a se pronunciar publicamente sobre a demissão de Moro.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL), aliada de Bolsonaro, lamentou a saída, mas adotou um tom neutro, sem citar o presidente.

O pastor Silas Malafaia, defensor do governo Bolsonaro, afirmou que a demissão de Moro foi um erro político, mas que segue apoiando o presidente.

Confira a íntegra do pronunciamento de Sergio Moro

Sergio Moro pede demissão

Band Notí­cias

Política