PUBLICIDADE
Topo

Política

Governo libera R$ 16,5 mi em aposta de Rogerio Marinho no choque com Guedes

Ministro Rogério Marinho tem visão conflitante com Paulo Guedes (Economia), que defende ajuste nas contas públicas - Renato Costa/Estadão Conteúdo
Ministro Rogério Marinho tem visão conflitante com Paulo Guedes (Economia), que defende ajuste nas contas públicas Imagem: Renato Costa/Estadão Conteúdo

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

08/05/2020 13h36

O governo federal liberou R$ 16,5 milhões para obras de saneamento em 15 estados. A verba foi autorizada pelo ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), um dos principais articuladores do governo Jair Bolsonaro (sem partido) para retomada de obras públicas no país.

O ministro se empenha pessoalmente na articulação com o Congresso para avançar com pautas que favoreçam a retomada de investimentos e obras públicas, como saneamento. A visão conflita com a do ministro Paulo Guedes (Economia), que tem a chave dos cofres públicos e luta pelo ajuste fiscal rigoroso e maior participação da iniciativa privada.

No começo do ano, setores da economia previam um crescimento do país menor do que o projetado inicialmente, de 2,4% para 2,1%. Com a pandemia do novo coronavírus, a situação se agravou e a expectativa é de que o país vai beirar a recessão, com 0,02% de avanço.

O impasse na questão econômica leva a embates entre alas do governo. Marinho tem trânsito livre no Planalto e junto à ala militar de Bolsonaro, com quem discute o plano Pró-Brasil - proposta para ampliar gastos da União em obras e incentivar a economia. Os ministro Braga Netto (Casa Civil) e Guedes também participam das negociações.

A pasta do Desenvolvimento Regional é responsável por projetos como Minha Casa Minha Vida, regularização fundiária e Defesa Civil, entre outros.

O ministro Rogério Marinho considera que a liberação de recursos feita nessa semana ajuda na qualidade de vida das pessoas e minimizam os impactos econômicos provocados pela pandemia do novo coronavírus.

O montante de investimentos da SNS (Secretaria Nacional de Saneamento) é voltado para obras de abastecimento de água, esgotamento sanitário, saneamento integrado, manejo de resíduos sólidos e de águas pluviais, além de estudos e projetos na área de saneamento básico.

A execução dos valores é de responsabilidade de estados e municípios, os pagamentos acontecerão de acordo com o andamento dos empreendimentos.

Confira a destinação dos recursos

Rio Grande do Norte

- Parnamirim (R$ 4 milhões);

Sergipe

- Aracaju (R$ 2,8 milhões)
- Nossa Senhora do Socorro (R$ 37,6 mil)

Amapá

- Macapá (R$ 685,4 mil)

Goiás

- Catalão (R$ 407,8 mil)
- Águas Lindas de Goiás (R$ 475,8 mil)

Bahia

- Salvador (R$ 1 milhão)

Minas Gerais

- Governador Valadares (R$ 37,8 mil)

Mato Grosso

- Rondonópolis (R$ 473,3 mil)

Mato Grosso do Sul

- Dourados (R$ 135,8 mil)

Pará

- Ananindeua (R$ 76,1 mil)
- Marituba (R$524,3 mil)
- Parauapebas (R$ 93,3 mil)
- Oriximiná (R$ 61,8 mil).

São Paulo

- Hortolândia (R$ 277,2 mil)
- São Bernardo do Campo (R$ 15,7 mil)
- Sorocaba (R$ 1,7 milhão)
- Sertãozinho (R$ 2 milhões)
- Santos (R$ 38,7 mil).

Pernambuco

- Olinda (R$ 145,5 mil)

Paraná

- Curitiba (R$ 277,3 mil)

Rio de Janeiro

- Belford Roxo (R$ 4,2 mil)

Rio Grande do Sul

- Porto Alegre (R$ 835,6 mil)
- Nova Hartz (R$ 8,5 mil)

Santa Catarina

- São Bento do Sul (R$ 195,5 mil)

Política