PUBLICIDADE
Topo

Política

Witzel critica 'ditadura da perseguição' e diz que Flávio deveria ser preso

Do UOL, em São Paulo

26/05/2020 13h13

O governador Wilson Witzel (PSC) se defendeu hoje das acusações que vieram à tona com a deflagração da Operação Placebo da Polícia Federal pela manhã. Após a PF cumprir mandados de busca e apreensão no Palácio das Laranjeiras, em sua residência pessoal e em um endereço ligado à mulher de Witzel, o governador fluminense contra-atacou mirando o presidente Jair Bolsonaro e sua família.

"Continuarei lutando contra esse fascismo que está se instalando no país, contra essa ditadura da perseguição. Não permitirei infelizmente que esse presidente que eu ajudei a eleger se torne mais um ditador na América Latina", afirmou em entrevista coletiva Witzel, que também citou o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos).

"Na família do presidente, a PF engaveta inquéritos, vaza informações. O senador Flávio Bolsonaro, com todas as provas que temos contra ele e que estão sendo apresentadas, dinheiro em espécie depositado em contas, lavagem de dinheiro, bens injustificáveis. O senador Flávio Bolsonaro deveria estar preso", disse o governador.

Witzel é apontado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) como o comandante de uma estrutura hierárquica do governo estadual ligada a supostas fraudes na saúde, principalmente em contratos emergenciais que visavam o combate à pandemia do coronavírus. A construção de hospitais de campanha e a compra superfaturada de respiradores estão entre as ações investigadas.

Na coletiva, o governador fluminense ainda prometeu acabar com o que classificou como "circo" feito pela Operação Placebo no Rio e cobrou ações da Polícia Federal no processo contra Flávio, que é apontado como beneficiado em um esquema de "rachadinha" enquanto era deputado estadual.

"A Polícia Federal deveria fazer seu trabalho com a mesma celeridade que passou a fazer no Rio porque o presidente acredita que eu estou perseguindo a família dele. E ele só tem essa justificativa de me perseguir politicamente. Acusações levianas estão sendo feitas a mim, mas tudo isso será esclarecido de forma clara nos processos", prometeu Witzel.

O governador, porém, ainda não deu mais detalhes de como será sua estratégia de defesa nas investigações. Witzel chamou o processo que envolve seu nome de "narrativas fantasiosas" e prometeu não decepcionar seus eleitores.

"Estou com a minha consciência tranquila. Prometi ao povo que não o decepcionarei e não vou decepcioná-los", conclui o governador.

Política