PUBLICIDADE
Topo

Jamais produzi fake news, diz Luciano Hang após ser alvo de operação

Luciano Hang, empresário dono da Havan, entre funcionários em uma das suas lojas; em post divulgado em seu Twitter - Twitter/Reprodução
Luciano Hang, empresário dono da Havan, entre funcionários em uma das suas lojas; em post divulgado em seu Twitter Imagem: Twitter/Reprodução

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 10h04Atualizada em 27/05/2020 14h20

O empresário Luciano Hang afirmou na manhã de hoje que "jamais fiz fake news contra os membros do STF (Supremo Tribuna Federal), contra a Corte" em uma live transmitida pelo Facebook. Ele afirmou que estava exercendo seu direito à liberdade de expressão.

Hang, dono da rede de lojas Havan, foi alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal, no inquérito do STF que investiga produções de notícias falsas contra o Supremo e seus membros.

Outros apoiadores do presidente Jair Bolsonaro como o blogueiro Alan do Santos, a ativista Sara Winter e o ex-deputado Roberto Jefferson também foram alvo da operação.

Questionado por seguidores se o fato de a operação ter sido direcionada contra bolsonaristas configurava perseguição, Hang respondeu com um versículo bíblico muito usado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "Direis a verdade e a verdade vos libertará".

Em repetidas vezes, o empresário afirmou que o país é livre e cobrou seu direito à liberdade de expressão e de pensamento quando se manifestava nas redes sociais.

Luciano Hang criticou a imprensa. "Nem sempre a notícia da TV, do rádio e do jornal é a verdadeira. Um fato tem muitas versões, eu falo as minhas versões", disse.

Ele também negou que a operação contra fake news tenha ocorrido para abafar a operação Placebo realizada ontem que mirou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e investiga fraudes em licitações da saúde.

Política