PUBLICIDADE
Topo

Janaina Paschoal pede que Damares convença Sara Winter a ir para casa

Do UOL, em São Paulo

31/05/2020 13h16

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) criticou a forma como o grupo autointitulado "300 do Brasil" tem protestado contra o STF e o inquérito das fake news. Na noite deste sábado (30) o grupo bolsonarista comandado por Sara Winter, uma das investigadas, fez um ato com tochas e máscaras em frente à sede do tribunal.

Segundo a deputada, o "300 do Brasil" prejudica a imagem do governo ao adotar performances "excêntricas". Como Sara Winter teve uma passagem pelo Ministério dos Direitos Humanos, Janaina pediu que a ministra Damares Alves convença a líder do movimento a recuar no confronto com o STF.

O grupo está acampado há semanas na Praça dos Três Poderes, e Sara já admitiu que há membros armados no local.

"Ministra Damares, sei que a Senhora é próxima a Sara. Por favor, peça para ela voltar para casa. Além de se prejudicar, ela está prejudicando a imagem do Governo, que já não é boa", disse a deputada em sua conta no Twitter.

"Será que somente eu consigo ver um governo cavando a própria cova?", complementou a deputada estadual mais votada da história do Brasil.

Janaina Paschoal foi uma das principais aliadas de Jair Bolsonaro (sem partido), mas se afastou do governo nos últimos meses. Em entrevista ao UOL, ela admitiu não ser possível confiar no presidente e que havia falado pessoalmente com Bolsonaro apenas "três ou quatro vezes".

Sara Winter, líder do "300 do Brasil", foi alvo nesta semana de mandado de busca e apreensão relacionado ao inquérito das fake news, conduzido pelo ministro do STF Alexandre de Moraes. Após a ação da Polícia Federal, Sara falou em "infernizar" a vida de Moraes e em "trocar socos" com ele.

Política