PUBLICIDADE
Topo

Política

Polícia prende ativista que participou de ataque com fogos ao STF, diz TV

Manifestante Renan Silva Sena é detido por policias civis em Brasília - Globonews/Reprodução
Manifestante Renan Silva Sena é detido por policias civis em Brasília Imagem: Globonews/Reprodução

Do UOL, em São Paulo

14/06/2020 21h27

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu hoje um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que teria participado ontem de um ataque com fogos de artifício à sede do STF (Supremo Tribunal Federal). A informação foi divulgada pela Globonews.

Identificado como Renan Silva Sena, o ativista é ex-funcionário terceirizado do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Em maio, ele agrediu verbalmente e cuspiu em enfermeiras durante uma manifestação na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

Nas imagens, creditadas ao jornal Correio Braziliense, o homem veste camiseta amarela e é colocado em um sedã preto, descaracterizado. Ele estaria com outros apoiadores de Bolsonaro, que teriam tentado impedir a ação.

O ataque ao STF aconteceu na noite de ontem, por volta das 21h30. Em vídeo divulgado, é possível ouvir a voz de um homem — que seria Renan — critica o "Supremo dos infernos", entre outras ofensas.

Política