PUBLICIDADE
Topo

Assessoria diz que Flávio Bolsonaro é vítima de campanha de difamação

Senador Flávio Bolsonaro no Palácio do Planalto - Reprodução
Senador Flávio Bolsonaro no Palácio do Planalto Imagem: Reprodução

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

20/06/2020 15h18

Resumo da notícia

  • Senador atribui acusações a grupo político que quer "recuperar o poder"
  • Flávio Bolsonaro alega inocência e diz confiar na Justiça
  • Parlamentares pediram a sua cassação por quebra de decoro

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), citado em investigação do MP-RJ (Ministério Público do Rio) que apura um suposto esquema de rachadinha — prática de devolução de parte de salários de servidores — se posicionou hoje à tarde em nota enviada por sua assessoria.

O texto diz que o político é vítima de uma campanha de difamação orquestrada por um grupo político. Mas não diz quem faz parte desse grupo nem fornece maiores detalhes sobre a suposta ligação desses políticos com a investigação do MP-RJ, que resultou na prisão de Fabrício Queiroz, seu ex-assessor, detido na quinta-feira em Atibaia-SP.

Queiroz é apontado como o operador da rachadinha na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), quando Flávio ainda era deputado.

Em nota, a assessoria do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ainda alega inocência, garante que o patrimônio dele é compatível com os seus rendimentos e diz acreditar na Justiça.

Ontem, parlamentares da oposição entregaram uma representação no Conselho de Ética do Senado, em Brasília, pedindo a cassação de Flávio por quebra de decoro parlamentar. Entre os motivos alegados pela oposição para o pedido estão o suposto envolvimento de Flávio Bolsonaro com as milícias, a rachadinha, lavagem de dinheiro e emprego de funcionários fantasmas.

Na investigação que resultou na prisão de Queiroz, o MP-RJ rastreou pagamentos de mais de 100 boletos do plano de saúde da família do político e de mensalidades escolares de suas duas filhas pagos com dinheiro que não corresponde com a movimentação financeira das contas bancárias dele ou de sua esposa, Fernanda Bolsonaro. Os depósitos equivalem a um valor de R$ 260 mil.

Abaixo, a íntegra da nota:

"O senador Flávio Bolsonaro é vítima de um grupo político que tem patrocinado uma verdadeira campanha de difamação. Essas pessoas têm apenas um objetivo: recuperar o poder que perderam na última eleição. Apesar dos incessantes ataques à sua imagem, Flávio Bolsonaro continua a acreditar na Justiça. Ele reafirma inocência em qualquer das acusações feitas por seus inimigos e garante que seu patrimônio é totalmente compatível com os seus rendimentos. Tudo ficará inequivocamente comprovado dentro dos autos. A verdade prevalecerá".