PUBLICIDADE
Topo

Bia Doria diz que é errado dar comida a moradores de rua: 'É um atrativo'

Bia Doria recebe Val Marchiori no Palácio dos Bandeirantes - Reprodução/Instagram
Bia Doria recebe Val Marchiori no Palácio dos Bandeirantes Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

03/07/2020 13h44Atualizada em 03/07/2020 18h16

A primeira-dama de São Paulo, Bia Doria, afirmou em uma conversa com a socialite Val Marchiori que acha errado dar comida ou roupas para moradores de rua. Para ela, "a pessoa tem que se conscientizar de que ela tem que sair da rua" e muitos não querem assumir "responsabilidades". Mais tarde, Bia se desculpou e disse que a frase foi tirada de contexto.

A conversa foi postada no Instagram de Val e mostra a visita da socialite ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Entre elogios à primeira-dama e ao governador João Doria (PSDB), elas falam sobre as artes de Bia, expostas no local, e ficam sem máscara, apostando em uma suposta imunidade da socialite.

Bia, que é presidente do Fundo Social de São Paulo, fala de alguns projetos como o Alimento Solidário e o Inverno Solidário.

"Meu principal projeto é o inverno solidário. Estamos arrecadando cobertores novos. Nada de roupa usada", avisa ela.

Em seguida, diz: "Mas olha, falando dos projetos sociais, algo muito importante é assim: as pessoas que estão na rua... Não é correto você chegar lá na rua e dar marmita, porque a pessoa tem que se conscientizar que ela tem que sair da rua. Por que a rua hoje é um atrativo, a pessoa gosta de ficar na rua".

"Você estava me explicando e eu fiquei passada", comenta Val, dizendo: "Eles não querem sair da rua porque no abrigo eles têm horário para entrar, têm responsabilidades, limpeza, e eles não querem, né, Bia?".

A primeira-dama segue na crítica: "A pessoa quer receber comida, quer roupa, quer uma ajuda, e não quer ter uma responsabilidade. Isso está errado, muito errado."

Em visita a nossa querida primeira dama @biadoria

Uma publicação compartilhada por Val Marchiori (@valmarchiori) em

Val diz que todo mundo tem responsabilidades. Bia concorda: "Sim, nós temos. Se a gente não pagar nossas contas...". Val complementa: "A gente vai para o cartório, querida, hello. E o povo fala".

Durante o papo, Val reclama de falar de máscara e é encorajada por Bia a retirá-la.

"Você já teve né. Então pode tirar", diz Bia. "Já tive, estou imune", responde Val. "Quando a gente sair, a gente põe", complementa a primeira-dama.

Ao fim da conversa, Val Marchiori mostra as obras de Bia, expostas no palácio e faz elogios.

"Meu marido tem uma paixão por artes. Então, aonde ele vai, tem que ter as obras. O que acho que é um jeito de ele lembrar de mim (risos)", comentou a primeira-dama.

Fundado em 1968 e hoje presidido por Bia Doria, o Fundo Social de São Paulo diz em seu site que "tem como objetivo instituir programas sociais destinados a atender pessoas em situação de vulnerabilidade social, especialmente através da oferta de oportunidades educacionais e profissionais para a população; implementação de projetos voltados à geração de renda; apoio à entidades de fins não econômicos com vista a suprir suas necessidades, de modo a propiciar a melhoria de atendimento à população".

Política