PUBLICIDADE
Topo

Política

Leilão de diamantes e barras de ouro de Sérgio Cabral arrecada R$ 4,6 mi

Diamante com 4.06 quilates que foi a leilão - Reprodução/De Paula Leilões
Diamante com 4.06 quilates que foi a leilão Imagem: Reprodução/De Paula Leilões

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

29/07/2020 18h20

Os diamantes e barras de ouro que pertenciam ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (MDB), foram leiloados na tarde de hoje na internet e arrecadaram R$ 4.599.317,60. Todos os 20 lotes colocados à venda foram arrematados e superaram em mais de R$ 1,5 milhão o valor de avaliação.

O conjunto de 15 diamantes e cinco barras de ouro de 24 quilates estava avaliado em R$ 3 milhões. O pregão foi considerado disputado pela De Paula Leilões, responsável pelas vendas.

Os itens do leilão tinham valores que variavam de R$ 52,6 mil a R$ 308 mil.

lingote - Divulgação/De Paula Leilões - Divulgação/De Paula Leilões
Lingote de ouro
Imagem: Divulgação/De Paula Leilões

A peça mais cara leiloada foi um diamante 4.06 quilates, avaliada em R$ 308.116,00 e vendida por R$ 335 mil.

Já os lingotes de ouro foram os mais disputados, segundo a De Paula Leilões. O valor de avaliação de quatro barras variava de R$ 230 mil a R$ 309 mil e eram aceitos lances iniciais de R$ 184 mil. No entanto, as peças foram vendidas por cerca de R$ 312 mil cada uma.

Os valores arrecadados ainda sofrerão acréscimos de 5% referente a taxa do leiloeiro.

Peças estavam na Suíça

De acordo com a Justiça, o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, acumulou o tesouro através do pagamento de propinas. As peças foram localizadas na Suíça. Após admitir o patrimônio fora do país, Cabral renunciou à propriedade dos bens. Cabral foi preso em novembro de 2016 e a pena atribuída a ele por corrupção passa de 280 anos de prisão. O ex-governador é réu em 31 ações penais e já foi condenado em 13 processos.

O pregão realizado hoje foi autorizado pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Senad/MJSP) e os recursos arrecadados serão divididos entre o Ministério da Justiça e o Fundo Antidrogas.

Política