PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Maconha, futebol e bissexualidade: bolsonaristas driblam 100 mil mortos

Cemitério da Vila Formosa, em São Paulo, tem covas abertas à espera dos mortos pela covid-19 na pandemia de coronavírus - Nelson Almeida/AFP
Cemitério da Vila Formosa, em São Paulo, tem covas abertas à espera dos mortos pela covid-19 na pandemia de coronavírus Imagem: Nelson Almeida/AFP

Beatriz Sanz

Do UOL, em São Paulo

08/08/2020 19h29

Resumo da notícia

  • Presidente escolheu focar em número de recuperados e no título do Palmeiras
  • Também fez post sobre apreensão de 2 toneladas de maconha
  • Silas Malafaia escolheu falar sobre ideologia de gênero, transexualidade e bissexualidade
  • Enquanto ministros celebram medicamentos sem comprovação, Damares lamenta perdas, mas não cita o novo coronavírus
  • Para Carla Zambelli, soma de mortes na pandemia é "comemorada" pela esquerda

Aliados de Jair Bolsonaro (sem partido), além do próprio presidente e seus filhos, evitam citar os 100 mil mortos em decorrência da covid-19 até o dia de hoje. Até o momento, o chefe do Executivo não se manifestou sobre o tema, contentando-se em usar suas redes sociais para interagir com apoiadores, divulgar ações do governo federal e destacar o número de pacientes recuperados da doença. O silêncio ocorre em meio a uma tentativa do presidente de amenizar seu discurso e iniciar um novo ciclo de governo, ligado a realizações e agendas positivas.

A deputada federal Carla Zambeli (PSL-SP) foi além. No início da tarde, abordou o tema dentro da lógica de polarização que tem pautado os nomes mais alinhados com o atual governo: "No mesmo dia que a esquerda parece comemorar 100 mil mortes por covid-19, o Brasil já soma 2 milhões de curados. Mas esse segundo dado você não verá na imprensa e nos perfis dos que usam mortes para fazer política".

Se no Instagram o presidente compartilhou uma notícia de site sobre os recuperados, no Twitter, sua única manifestação desde a divulgação do número de mortos foi um retuíte sobre a apreensão de duas toneladas de maconha no Rio Grande do Sul.

Driblando o principal assunto do noticiário e um dos temas mais debatidos no Twitter hoje, o pastor Silas Malafaia escolheu falar sobre ideologia de gênero, transexualidade e bissexualidade.

Por sua vez, os ministros da Ciência e Tecnologia e da Educação, Marcos Pontes e Milton Ribeiro, respectivamente, que já foram diagnosticados com a doença anteriormente, celebraram suas curas atribuindo os resultados positivos a medicamentos que não possuem eficácia comprovada.

Já a ministra da Família, Damares Alves, prestou solidariedade às famílias das vítimas sem, contudo, citar a covid-19 diretamente, o número de vítimas ou a estratégia do governo que integra para combatê-la.

Por sua vez, a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) prestou solidariedade às famílias das vítimas e orientou medidas de segurança como uso de máscaras e distanciamento social.

No início da noite, o presidente voltou a aparecer nas redes sociais, mas não para falar de Saúde: o presidente publicou uma foto comemorando a vitória do Palmeiras no campeonato paulista.

Coronavírus