PUBLICIDADE
Topo

Política

CE: Deputado tem mandato suspenso após sugerir ligação entre opositor e PCC

Bolsonarista, André Fernandes (Republicanos-CE) era filiado ao PSL na época das acusações - Máximo Moura/Alece
Bolsonarista, André Fernandes (Republicanos-CE) era filiado ao PSL na época das acusações Imagem: Máximo Moura/Alece

Do UOL, em São Paulo

20/08/2020 15h21Atualizada em 21/08/2020 08h06

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado estadual André Fernandes (Republicanos-CE) teve seu mandato suspenso na Alece (Assembleia Legislativa do Ceará) por 30 dias após sugerir — sem provas — que Nezinho Farias (PDT-CE) teria ligações com o PCC (Primeiro Comando da Capital), uma facção criminosa.

O caso aconteceu em junho. Fernandes chegou a protocolar uma denúncia no MPCE (Ministério Público do Ceará), que posteriormente tornou públicas as acusações. No fim do mês, como relata o blog Política, de O Povo, o deputado reclamou da divulgação, mas foi rebatido pelo órgão: "Todas as denúncias encaminhadas ao MP são públicas".

À época das acusações, André Fernandes ainda era filiado ao PSL, antigo partido de Bolsonaro.

A votação terminou em 29 a 11, com três abstenções. Para que a suspensão fosse aprovada, eram necessários 24 votos favoráveis.

Mais cedo, o parlamentar se pronunciou nas redes sociais. Ele citou o agora deputado federal José Guimarães (PT-CE), ligando ele ao caso dos "dólares na cueca", e disse que continuaria fazendo oposição ao governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e aos Ferreira Gomes — família de Ciro Gomes (PDT) —, independentemente de sua suspensão.

"Se preparem!", escreveu.

Em nota, o deputado José Guimarães pontuou não ter nenhuma relação com o caso "dólares na cueca". "Em 2012, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) concluiu que não havia ligação entre o parlamentar e a prisão de José Adalberto Vieira no aeroporto de Congonhas. Anos antes, em 2005, a Assembleia Legislativa do Ceará já havia absolvido Guimarães, na época, deputado estadual."

Segundo ele, "as ofensas proferidas pelo deputado estadual André Fernandes não passam de ataques caluniosos sem fundamento. Ele, que está colhendo os efeitos de sua conduta ultrajante com outros colegas de parlamento, busca holofotes a partir de ofensas à honra de José Guimarães."

"Tamanho desespero acentua a pequenez e o destempero do parlamentar cearense. Trata-se de mais um bolsonarista eivado de más intenções e pouco preocupado em cumprir o seu papel como representante do povo."

A nota diz que a "assessoria jurídica de José Guimarães já está ciente dos ataques proferidos por André Fernandes, que responderá, judicialmente, por mais uma de suas ações despudoradas".

Política