PUBLICIDADE
Topo

Política

'Muito chimarrão': relator para sessão de impeachment para ir ao banheiro

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

23/10/2020 10h40Atualizada em 23/10/2020 14h02

A votação do impeachment do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), e da vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido), foi interrompida na manhã de hoje para um deputado ir ao banheiro. A situação ocorreu logo após as manifestações da defesa e da acusação na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina).

"Em respeito aos nobres advogados tanto da defesa quanto da acusação não quis fazer a retirada, mas eu peço pelo menos um minuto para eu...tomei muito chimarrão e para voltar, porque logo depois não vai dar", disse o relator e deputado estadual Kennedy Nunes (PSD).

A sessão foi interrompida por cinco minutos e retornou logo após.

O dia é considerado decisivo para o andamento do pedido de impeachment. Caso a comissão mista aprove o documento, o governador e a vice são afastados provisoriamente por 180 dias. Em caso contrário, o processo é arquivado.

O pedido de impeachment foi apresentado pelo defensor público Ralf Zimmer Junior por suposta prática de crime de responsabilidade na concessão de aumento a procuradores de Santa Catarina, que tiveram os salários equiparados aos dos procuradores do Poder Legislativo. O autor argumentou que o benefício foi concedido de forma sigilosa, sem autorização legislativa.

Política