PUBLICIDADE
Topo

RN: Candidata a vice-prefeita é procurada por suspeita de integrar milícia

Além de suspeita de integrar milícia privada, Damária também é suspeita de receptação e posse ilegal de arma de fogo - Reprodução
Além de suspeita de integrar milícia privada, Damária também é suspeita de receptação e posse ilegal de arma de fogo Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

23/10/2020 10h14

Damária Jácome de Oliveira (PP), candidata a vice-prefeita do município de João Dias, no Rio Grande do Norte, é procurada pela PC (Polícia Civil) depois de a Justiça ter expedido um mandado de prisão preventiva contra a candidata.

De acordo com a Deicor (Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado), Damária é suspeita pelos crimes de integrar milícia privada, receptação e posse ilegal de arma de fogo. A polícia informou que realiza diligências há cerca de três dias, mas ainda não conseguiu encontrar a candidata.

A PC informou em seu site de comunicação que quatro irmãos de Damária e o cunhado dela, Carlos André Freire da Silva, também estão foragidos da Justiça. Freire é investigado por suspeita de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico.

Prisão do pai de Damária

O pai de Damária, Laete Jácome (PP), também candidato à reeleição como vereador no município de João Dias, foi preso no último sábado (17) em uma operação deflagrada pelo Deicor para cumprir mandados de busca e apreensão.

Na ocasião, sete pessoas, incluindo o pai da candidata, foram presas e houve a desarticulação de uma organização criminosa no município, segundo a polícia.

Além das prisões, a operação encontrou na casa do vereador R$ 15.535,00, "duas espingardas calibre 12, com 100 munições do mesmo calibre, dois rifles de calibre 38, com 103 munições do mesmo calibre, e três pistolas calibre 380, com 80 munições".

A Polícia Civil ainda disse que o vereador se recusou a abrir o portão de casa mesmo ao ser informado que havia um mandado de busca contra ele. A corporação declarou que foi necessário fazer o "uso da força" na operação.

"Eles [os sete presos] foram autuados em flagrante pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo e receptação, e encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça", declarou a polícia na última segunda-feira (19).

O UOL não conseguiu encontrar a defesa de Damária e tenta contato com o partido da candidata, o Progressistas, para comentar o caso.