PUBLICIDADE
Topo

Política

'Acredito na Justiça', diz Doria após ter R$ 29 mi em bens desbloqueados

Defesa do governador paulista alegou motivações eleitorais na retomada do processo - DEYVID EDSON/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Defesa do governador paulista alegou motivações eleitorais na retomada do processo Imagem: DEYVID EDSON/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Allan Brito, Felipe Pereira e Rafael Bragança

Do UOL, em São Paulo, e Colaboração para o UOL, em São Paulo*

26/10/2020 14h11Atualizada em 27/10/2020 12h29

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) se manifestou hoje sobre o desbloqueio de R$ 29 milhões em bens seus, determinado pela manhã no TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo). Doria fez um breve comentário durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, realizada por conta da pandemia do novo coronavírus, e se limitou a dizer que confia na Justiça.

"Acredito na Justiça como sempre acreditei, e sempre confiei", afirmou o governador, que é acusado por improbidade administrativa enquanto era prefeito da capital paulista.

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) aponta irregularidades na forma como Doria usou R$ 29 milhões do programa "Asfalto Novo", que foi realizado entre o final de 2017 e os primeiros meses de 2018. Oficialmente, a verba foi usada para fazer propagada da ação, mas os promotores alegam que o governador fez propaganda de si mesmo com recursos públicos.

A defesa de Doria também divulgou uma nota hoje na qual diz acreditar na Justiça, mas aproveitou para acrescentar uma possível motivação eleitoral na determinação de bloqueio de bens, ocorrida na última terça-feira (20).

"A defesa de João Doria acredita na Justiça e lamenta que a citada ação civil pública, que encontrava-se sem movimento desde julho de 2019, tenha sido retomada agora, curiosamente às vésperas das eleições municipais, e seja utilizada como arma para ataques infundados contra Doria", afirma a nota.

Nas eleições municipais, Doria apoia o atual prefeito Bruno Covas (PSDB) à reeleição na capital. Covas era vice do atual governador na eleição de 2016 e assumiu a Prefeitura de São Paulo quando Doria foi eleito para comandar a administração estadual.

*Com informações da Reuters

Política