PUBLICIDADE
Topo

Política

Oswaldo Eustáquio é alvo mandado de prisão domiciliar e usará tornozeleira

Oswaldo Eustáquio chega à sede da PF em Brasília - Divulgação/Oswaldo Eustáquio
Oswaldo Eustáquio chega à sede da PF em Brasília Imagem: Divulgação/Oswaldo Eustáquio

Leonardo Martins

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/11/2020 08h56Atualizada em 17/11/2020 16h39

O blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio foi alvo de mandados de prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica e de busca e apreensão pela Polícia Federal na manhã de hoje.

A decisão é do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes e foi tomada após Eustáquio ter descumprido as restrições impostas pelo magistrado ao determinar sua soltura no meio deste ano. Em nota, o bloqueiro classificou a prisão domiciliar de "ilegal, imoral e inconstitucional" (leia abaixo).

Eustáquio foi preso temporariamente por dez dias em junho. Ele foi alvo da Operação Lume da PF, que investiga os organizadores de atos antidemocráticos, e é um dos principais suspeitos no inquérito das fake news no STF.

Ao ser solto, Moraes estabeleceu ao bolsonarista proibições, como a determinação de não poder sair de Brasília, cidade onde mora, e não usar as redes sociais.

Mas, na semana passada, o blogueiro foi a São Paulo fazer um vídeo contendo fake news contra o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos.

O vídeo com informações falsas foi utilizado pelo candidato Celso Russomanno (Republicanos) para desferir acusações contra Boulos. Ele foi divulgado no mesmo horário em que acontecia o debate UOL/Folha.

Após o fim do debate, Eustáquio esteve no estacionamento do UOL, em São Paulo, onde o evento foi realizado, e abordou Boulos, com quem discutiu.

Esse episódio foi uma das provas levantadas por Moraes para justificar a ordem de prisão, uma vez que provou a saída dele de Brasília sem autorização da Justiça.

Por determinação de Moraes, Eustáquio cumprirá agora prisão domiciliar e terá de usar tornozeleira eletrônica, segundo a PF, " por descumprimento de imposições anteriores - não se ausentar de Brasília sem autorização e não usar redes sociais".

Na casa do bolsonarista, a PF apreendeu computadores, tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos.

Eustáquio chegou a publicar o vídeo com fake news contra Boulos em suas redes sociais. A Justiça Eleitoral ordenou que o Google removesse o conteúdo do ar. No último domingo, o juiz Emílio Migliano Neto, da 2ª zona eleitoral de São Paulo, mandou suspender o canal do blogueiro no YouTube.

O que diz a defesa de Eustáquio

Em nota, Eustáquio diz que sua prisão domiciliar "é ilegal, imoral e inconstitucional por crime de opinião, sendo assim rasgada a Constituição Brasileira".

Na nota, ele cobra que a Justiça investigue a fake news divulgada por ele contra Boulos.

"O jornalista Oswaldo Eustáquio lamenta mais essa arbitrariedade e diz que vai denunciar tudo isso à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos", diz a nota.

Política