PUBLICIDADE
Topo

Governo Bolsonaro

'Força Aérea cumpriu missão no dia D menos um', diz Bolsonaro sobre vacinas

20.jan.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participa da cerimônia 80° aniversário do Comando da Aeronáutica, na Base Aérea de Brasília - Reprodução/Presidência da República
20.jan.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participa da cerimônia 80° aniversário do Comando da Aeronáutica, na Base Aérea de Brasília Imagem: Reprodução/Presidência da República

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

20/01/2021 11h20Atualizada em 20/01/2021 12h20

Apesar de críticas devido a erros de logística na distribuição da CoronaVac, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou hoje que a FAB (Força Aérea Brasileira) "cumpriu a sua missão no dia D menos um, e isso é orgulho", ao elogiar a participação da Aeronáutica na entrega do imunizante aos estados.

"Também a nossa Força Aérea, nessa primeira parte da entrega de vacinas no Brasil, cumpriu a sua missão no dia D menos um. Isso é motivo de orgulho, tendo em vista o seu planejamento, a sua organização, o seu patriotismo e seu sentimento de defesa dos direitos humanos, que vem da alma, vem do coração de cada militar da nossa Força Aérea", declarou o presidente durante a cerimônia pelos 80 anos do Comando da Aeronáutica, em Brasília.

No discurso, Bolsonaro fez referência a uma frase do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em 11 de janeiro. Na ocasião, sob pressão de governadores e prefeitos para explicar o porquê da demora para início da vacinação no Brasil, ele disse que a campanha de imunização começaria "no dia D e hora H".

A declaração gerou forte repercussão negativa em vários setores da sociedade. Lideranças no Parlamento e especialistas em saúde criticaram o planejamento confuso do ministério, que posteriormente divulgou que a vacinação começaria em 20 de janeiro, às 10h.

Mas com o aval da Anvisa ao uso emergencial, o estado de SP se antecipou e, em meio a uma disputa política entre Bolsonaro e o governador João Doria (PSDB), decidiu dar o pontapé da vacinação no país. A enfermeira Mônica Calazans foi a primeira pessoa a receber a aplicação da CoronaVac. A cena deixou Pazuello extremamente irritado.

No dia seguinte, com a pressão ainda maior de outros governadores, ele afirmou que a vacinação começaria já na segunda-feira (18). Mas nem todas as cidades conseguiram dar início à campanha de imunização, pois houve atrasos nos voos que levariam as doses.

Governadores que já estavam à espera da entrega em aeroportos ficaram a ver navios. A justificativa do ministro foi que houve "mudança de logística".

Na segunda-feira (19), aviões da FAB iniciaram parte do transporte das doses da CoronaVac para vários estados brasileiros, que continuou ontem. Foram 22 toneladas de carga, o que representa um terço de todo esforço logístico previsto para o abastecimento dos estados com a vacina contra o coronavírus, segundo informações do Ministério da Defesa.

Bolsonaro ainda lembrou o papel da FAB "no socorro aos nossos irmãos de Manaus, que passavam momentos difíceis". "E a nossa Força Aérea transportando em suas asas meios materiais e gente para socorrer nossos irmãos", disse, sem comentar sobre a situação de caos na saúde com a falta de oxigênio na capital amazonense para pacientes com covid-19.

Em um tom mais ameno, o presidente afirmou ainda que os que criticam o governo "perderão".

"Quando somos atacados, dependendo de onde vem esses fogos, estamos no caminho certo. Eu prego e zelo pela união de todos, pelo bem, pela paz e pela harmonia, mas os poucos setores que teimam em remar em sentido contrário, tenho certeza, vocês perderão. Hoje temos um governo que pensa no seu Brasil como um todo", finalizou.

Governo Bolsonaro