PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Presidente do Cidadania: Huck decidirá sobre candidatura até o meio do ano

Luciano Huck ainda não decidiu se vai renovar contrato com a Globo ou se tentará ser presidente - BEATRIZ ORLE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Luciano Huck ainda não decidiu se vai renovar contrato com a Globo ou se tentará ser presidente Imagem: BEATRIZ ORLE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL

05/03/2021 11h49

O apresentador Luciano Huck ainda não resolveu se vai disputar a eleição presidencial de 2022. Roberto Freire, presidente do partido Cidadania, espera que Huck tome uma decisão em breve.

"Está havendo uma aceleração do processo eleitoral. Ele (Huck) deve se decidir até o meio do ano, e a grade da Globo é a antessala dessa decisão", analisou Roberto Freire em entrevista ao Estadão.

A Rede Globo está planejando a grade de programas para 2022 e quer saber se poderá contar com Huck. Ele já foi cogitado para assumir um programa aos domingos, já que Faustão vai sair do canal.

A Globo precisa de antecedência para fechar novos acordos de patrocínio, que se encerram neste ano. Em alguns casos só será possível fazer isso com a renovação de contrato entre o apresentador e a emissora, segundo o Estadão.

Caso queira disputar a eleição, Huck precisa se filiar a um partido. Ele já se reuniu com políticos de diferentes ideologias e foi especulado em diversas legendas, mas não confirmou nenhuma decisão. Roberto Freire já admitiu que gostaria de contar com o apresentador no Cidadania. Mas DEM e PSB também já foram especulados como possíveis destinos do possível futuro político do apresentador.

Ontem Huck falou no Twitter sobre a pandemia de covid-19 no Brasil e cobrou compra de vacinas, com uma indireta para o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Chilique não resolve", escreveu o apresentador. "O que resolve é correr atrás de novos fornecedores e vacinar toda a população", completou.

A mensagem de Huck aconteceu no mesmo dia em que Bolsonaro disse que fechar comércios para controlar a pandemia é "frescura" e "mimimi".

Política