PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
8 meses

Mourão diz que número de mortes por covid 'ultrapassou limite do bom senso'

Vice-presidente Hamilton Mourão fez declaração hoje, em Brasília -
Vice-presidente Hamilton Mourão fez declaração hoje, em Brasília

Do UOL, em São Paulo

25/03/2021 12h40Atualizada em 25/03/2021 15h11

O vice-presidente Hamilton Mourão alegou hoje em entrevista coletiva no Palácio do Planalto que o número de mortes pela covid-19 no Brasil "ultrapassou o limite do bom senso". A declaração do vice-presidente foi dada um dia após o Brasil ultrapassar a marca de 300 mil mortes pela doença, com mais de 2 mil óbitos registrados por dia.

"Agora vamos enfrentar o que está aí e tentar de todas as formas diminuir a quantidade de gente contaminada e, obviamente, o número de óbitos que, pô, já ultrapassou o limite do bom senso", disse Mourão.

Mourão disse que com a nova gerência do Ministério da Saúde pelo cardiologista Marcelo Queiroga, o governo "vai enfrentar de todas as formas" a covid-19 para diminuir o número de infectados e de mortes. Ao mesmo tempo, o vice-presidente voltou a se manifestar contra a ampliação de medidas restritivas nacionais para conter o avanço do coronavírus no Brasil.

"Não vejo condições de um lockdown nacional. Em um país desigual como o nosso, isso é impossível de ser implementado. Vai ficar só no papel. Julgo que essas medidas restritivas tem que ficar a cargo dos governadores e prefeitos porque cada um que sabe como está a situação da sua área e o governo federal deve dar apoio".

Mourão foi contra governadores ao lado de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou o tom do discurso sobre o combate à pandemia no Brasil em um pronunciamento feito na noite de terça-feira (23). O presidente alegou que desde o começo da pandemia afirma que acredita na ciência e aposta na vacina como alternativa.

No entanto, no dia 19 de março, o chefe do Executivo entrou com uma ação no STF (Supremo Tribunal Federal) contra os governadores que decretaram toque de recolher para evitar que a população circulasse e fosse infectada pela covid-19. Na altura, o vice-presidente Hamilton Mourão apoiou a atitude de Bolsonaro e avaliou que a medida "não era uma questão de confronto".

"Algumas medidas, o presidente coloca claro e eu concordo com ele, estão além da liberdade de manobra que cada governador tem, como essa questão de toque de recolher. Isso tem que ter uma legislação que ampare melhor", declarou.

Política