PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Bolsonaro diz que vai 'sair na porrada' com Randolfe em gravação com Kajuru

Colaboração para o UOL

12/04/2021 11h54Atualizada em 12/04/2021 16h16

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) divulgou hoje, durante entrevista ao Datena na Rádio Bandeirantes, aquele que diz ser o último trecho da conversa gravada com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No diálogo, Bolsonaro afirma que vai ter que "sair na porrada" com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Durante o diálogo, Bolsonaro pede a Kajuru que a CPI da Covid seja ampla e investigue governadores e prefeitos, não apenas os atos do governo federal no combate à pandemia do coronavírus. O senador afirma que será ampla, caso não seja, ele pede para sair. Nesse momento, Bolsonaro ataca o senador Randolfe.

"Aí a canalhada do Randolfe Rodrigues vai participar e vai começar a encher o saco. Dai vou ter que sair na porrada com um bosta desse", afirmou Bolsonaro.

Kajuru afirmou à Rádio Bandeirantes que preferiu não divulgar esse trecho para preservar tanto o presidente da República, quanto o colega senador. Mas, segundo ele, a fala de Bolsonaro hoje pela manhã a apoiadores dizendo que tinha "mais coisa" na conversa e que poderia ser divulgada, o fez apresentar todo o diálogo.

"Era desnecessário, para que, de graça? Tem inimizade entre eles. O Randolfe é líder da oposição. Eu entendi que o melhor para os dois era essa parte não ser colocado. Mas ele [Bolsonaro] quis que colocasse o restante. Então eu coloquei. Pronto, acabou", disse Kajuru.

O senador afirmou que disse ao presidente Bolsonaro ontem, às 12h40, que iria divulgar o áudio da conversa.

Logo após a divulgação do áudio, o senador Randolfe repudiou a fala de Bolsonaro. "A violência costuma ser uma saída para os covardes que têm muito a esconder", disse em seu perfil no Twitter.

"Não irão nos intimidar! Especialmente porque sabemos que a fraqueza desse governo está em todos os âmbitos. Nossa única briga será pelo povo! Pela vacina e por comida na mesa!", completou.

Já para a Rádio Bandeirantes, Randolfe disse que a atitude demonstrada por Bolsonaro "não está à altura de um presidente da República, principalmente com tanta tragédia que estamos vivendo".

"Ele não precisa se preocupar comigo. Não sei ele, mas eu não tenho idade para participar de briga de rua. Só quero briga para tentar impedir que mais compatriotas padeçam dos males desse vírus", completou.

Procurado pelo UOL para comentar as declarações contra o senador Randolfe, a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) disse, em nota, que o Planalto não irá se manifestar.

CPI da Covid

Kajuru disse durante a entrevista que já nessa semana serão decididos o presidente e relator da CPI. Segundo o senador, quando a discussão começar no STF, apenas dois ministros serão contrários a decisão de Barroso, mas preferiu não citar os nomes.

"A CPI sai, porque a decisão do ministro Barroso, além de coerente, é soberana. O presidente do Senado disse que não poderia deixar de cumprir a ordem. Amanhã mesmo vai ler no ar, e a partir de amanhã começa a escolha dos integrantes através dos líderes dos partidos e blocos. Teremos durante a semana o conhecimento. Na quarta o STF julga, mas o STF vai apoiar e acompanhar a decisão do Barroso. Só 2 ministros são contrários. Ai não tem discussão, é escolher o presidente e o relator dessa importante CPI. Ela foi politizada porque tem gente com medo, desde gente do governo federal aos governadores. O presidente disse que pode tocar. Então vamos seguir os trabalhos nossos", afirmou Kajuru.

Gravação

O senador Jorge Kajuru divulgou ontem uma conversa telefônica com o presidente Jair Bolsonaro em que é pressionado a mudar o objeto da CPI da covid. Segundo o presidente, a comissão deveria também investigar governadores e prefeitos.

"A CPI hoje é para investigar omissões do governo Bolsonaro, ponto final. Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai só vir pra cima de mim. Tem que mudar a amplitude dela", comentou Bolsonaro. "Se não mudar, a CPI vai simplesmente ouvir (o ex-ministro da Saúde Eduardo) Pazuello, ouvir gente nossa, para fazer um relatório sacana", disse Bolsonaro.

Durante a conversa, o presidente da República também pediu que Kajuru entrasse com pedido de impeachment contra ministros do Supremo.

"Você tem de fazer do limão uma limonada. Tem de peticionar o Supremo para colocar em pauta o impeachment (de ministros) também", disse Bolsonaro ao senador. "Sabe o que eu acho que vai acontecer, eles vão recuperar tudo. Não tem CPI... não tem investigação de ninguém do Supremo", continuou Bolsonaro, durante a conversa. Kajuru respondeu que já tinha entrado com pedido de afastamento do ministro do STF Alexandre de Moraes, ao que Bolsonaro respondeu: "Você é 10".

"Tem mais"

Na manhã de hoje, o presidente da República falou a apoiadores que "tem mais coisa" na conversa que havia sido divulgada por Kajuru ontem.

"Fui gravado em uma conversa telefônica, tá certo? A que ponto chegamos no Brasil aqui. Só para controle, falei mais coisas naquela conversa. Podem divulgar tudo da minha parte", afirmou Bolsonaro.

Política