PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Covid: deputado do PSL 'fura fila' e é vacinado; ele nega irregularidade

Professor Irineu (PSL) toma vacina contra covid-19 antes de sua faixa etária entrar na grupo de prioridade - Reprodução/Facebook
Professor Irineu (PSL) toma vacina contra covid-19 antes de sua faixa etária entrar na grupo de prioridade Imagem: Reprodução/Facebook

Bruno Torquato

Colaboração para o UOL, em Betim (MG)

15/04/2021 18h04

O deputado estadual Professor Irineu (PSL) foi vacinado ontem contra a covid-19 em Betim (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte, antes do seu grupo de prioridade. A cidade faz atualmente a imunização de idosos com 65 anos ou mais, porém o deputado tem 63 anos.

A vacinação ocorreu na UBS (Unidade Básica de Saúde) do bairro de Vila Cristina. A informação foi confirmada pela assessoria do parlamentar, que alegou que o fato não tem irregularidade, pois foi autorizado pela equipe de saúde local. A prefeitura da cidade informou que abriu sindicância para apurar o ocorrido.

Professor Irineu foi vereador em Contagem, município vizinho de Betim, por três mandatos (entre 2004 e 2015), foi eleito deputado estadual em 2018 e se candidatou a prefeito de Contagem no ano passado, mas teve apenas 3,9% dos votos. Irineu é do mesmo partido político da vice-prefeita de Betim, Cleusa Lara.

A assessoria do deputado divulgou em nota que, antes de ir à UBS, ele telefonou para a unidade e foi informado que sua idade já estaria apta para vacinar. Porém, ao chegar no local, soube que era apenas para 65 anos.

"Entretanto, o Professor Irineu foi avisado que poderia esperar, caso houvesse sobra o mesmo poderia ser imunizado", informou a nota, que explicou que o parlamentar esperou e, como teriam sobrado doses, ele foi vacinado e já recebeu o agendamento para a segunda dose da CoronaVac.

O deputado não tem residência em seu nome em Betim, de acordo com os bens divulgados pelo parlamentar em 2020 ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Ele declarou patrimônio superior a R$ 1 milhão. A prefeitura da cidade não respondeu se autoriza uma pessoa sem moradia na cidade a receber o imunizante contra a covid-19.

Entretanto, a assessoria do deputado informou que ele tem uma residência na cidade e que esse imóvel irá constar na declaração do Imposto de Renda do ano que vem. Foi enviado para a reportagem uma conta de energia elétrica no qual mostra um endereço em Betim, sem identificação de nome de rua e número de imóvel. A fatura está em nome do deputado com vencimento para o dia 28 deste mês.

Por meio de nota, a Prefeitura de Betim disse que abriu sindicância para apurar as irregularidades sobre o caso. O resultado deve sair no dia 22 de abril.

"Durante esse período, o município manterá um fiscal da Ouvidoria da Secretaria Municipal de Saúde na UBS Vila Cristina para garantir que não haja nenhuma irregularidade nos trabalhos realizados. A Prefeitura assegura que, após identificados todos os responsáveis pela vacinação irregular, as medidas cabíveis serão tomadas com o máximo rigor", explicou.

Política