PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

"Quem paga o preço do negacionismo na pandemia é o povo", diz Huck

Luciano Huck - Reprodução/Globo
Luciano Huck Imagem: Reprodução/Globo

Do UOL, em São Paulo

05/05/2021 23h33

Apresentador de televisão e virtual candidato a presidente da República, em 2022, Luciano Huck criticou hoje, em entrevista à Rádio Bandeirantes, a atuação do governo de Jair Bolsonaro no combate à pandemia da covid-19. Segundo Huck, não houve planejamento para vacinação e quem está pagando as consequências com tudo isso é o povo.

"A gente não planejou vacinação, não comprou vacina quando tinha que comprar. Quem paga o preço dessa narrativa negacionista agora é o povo mesmo, porque não dá para ir para a rua que morre [de covid-19]. Morre o sogro, a sogra, o pai, a mãe, um amigo, um primo por causa do vírus", disse o apresentador.

"Eu acho que é bravata. Não tenho a menor dúvida de que a proteção da economia ou dos empregos não é botar as pessoas na rua circulando e se infectando. Primeiramente, era você ter planejado a vacina. Nos países que conseguiram implementar programas de vacinação organizados a população está praticamente imune. A vida está voltando. E a gente não. A gente está atolado e empacado porque foi muito incompetente na gestão dessa crise sanitária", ressaltou.

"Não sou médico, tento ouvir a ciência, que é o que temos de melhor. Não quero ouvir bravatas, e o que a ciência diz sobre o melhor jeito de mitigar o poder do vírus e controlar a pandemia é se proteger, ter menos contato com as pessoas, minimizar a chance de o vírus ser transmitido pelo ar", concluiu.

Coronavírus