PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

'Frases que apavoraram o mundo', diz Renan sobre falas de Bolsonaro

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) é o relator na CPI da Covid, que investiga a atuação do governo federal no combate à pandemia -  FREDERICO BRASIL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O senador Renan Calheiros (MDB-AL) é o relator na CPI da Covid, que investiga a atuação do governo federal no combate à pandemia Imagem: FREDERICO BRASIL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL

07/05/2021 16h06

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), não poderia ter ignorado o que acontecia nas negociações para a compra de vacinas contra covid-19 realizadas dentro do governo.

Em entrevista ao podcast "A Malu tá ON", do jornal O Globo, o político ressaltou a resitsência de Bolsonaro ao imunizante.

"Nós não temos em nenhum outro país um chefe de governo, ou chefe de Estado, que ficou tão contra a vacina como o presidente da República do Brasil. Nós temos isso catalogado na linha do tempo, em frases que apavoraram o mundo", afirmou.

Renan é relator na CPI da Covid, que investiga a atuação do governo federal no combate à pandemia.

Sobre o destino de Bolsonaro na comissão, o senador garantiu isenção.

"O impedimento do presidente será -- ou não -- uma consequência da própria investigação. Não é a CPI que vai pedir", disse.

Quanto as declarações do presidente sobre a China, o político as classifica como "catastróficas".

"Isso é estilo próprio do presidente da República, mas assim, ele não faria um depoimento daquele, repetindo depoimentos catastróficos que tem feito ao longo dessa pandemia se nos ouvisse. No mínimo ele ouviria uma palavra, um apelo de bom senso, de calma", palpitou.

Acerca da relação com o ex-presidente Lula, disse não ter nada de especial.

"Quando estive doente no ano passado o Lula me visitou, mas como o Lula, muitos fizeram isso. Não tem absolutamente nada de especial na minha relação com ele. É uma relação normal. Eu o respeito muito e ele me respeita muito também. Eu acho que a política tem que ser assim", destacou.

Renan também defendeu que o ex-juiz e ministro Sergio Moro tem que ser preso.

"Eu acho que ele tem que ser responsabilizado na forma da lei, se o STF entender que ele tem que ser preso ele tem que ser preso sim. São vários crimes. Ele é consequência de um projeto político. Extrapolaram em todos os momentos os limites da Constituição. Depois do Moro não dá mais no Brasil para um juiz cuidar da instrução, da investigação e julgar", argumentou.

Política