PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Doria diz que Covas é 'eterno exemplo'; veja reações à morte do prefeito

Do UOL, em São Paulo

16/05/2021 10h23Atualizada em 16/05/2021 17h41

A morte do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), gerou comoção entre políticos. Entre mensagens publicadas nas redes sociais, há a referências à sua trajetória política, à ligação com seu avô, o ex-governador paulista Mario Covas, e ao legado que deixa para o país.

Covas morreu hoje aos 41 anos de idade. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês.

Jair Bolsonaro (sem partido), presidente da República:

Nossa solidariedade aos familiares e amigos do Bruno Covas, que faleceu hoje após uma longa batalha contra o câncer. Que Deus conforte o coração de todos!

Antes da mensagem de solidariedade, no Twitter, Bolsonaro respondeu com um emoji a uma publicação do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, sobre a morte do político, que lutava contra um câncer.

Emojis são símbolos usados nas redes sociais e em aplicativos de mensagens para demonstrar emoções ou ações. Também podem demonstrar objetos específicos, como animais e veículos, por exemplo.

João Doria (PSDB), governador de São Paulo:

Obrigado Bruno Covas, por ter compartilhado, com todos nós, tanto carinho e dedicação. À Renata e ao Pedro, seus Pais, Gustavo, seu irmão e especialmente Tomás, seu filho, meu afeto nesse momento doloroso em que a natureza subverte o curso da vida. São Paulo terá sempre muito orgulho desse filho querido.

A força de Bruno Covas vem do seu exemplo e do seu caráter. Foi leal à família, aos amigos, ao povo de São Paulo e aos filiados do seu partido, o PSDB. Sua garra nos inspira e seu trabalho nos motiva.

Tive o privilégio de acompanhá-lo desde o início da vida pública, ao lado do seu avô Mario Covas. Tive a honra de tê-lo como vice, na prefeitura de São Paulo. E a alegria de ver seus ideais e realizações aprovados nas eleições de 2020.

Bruno Covas era sensível, sereno, correto, racional, pragmático e ponderado. Voz sensata, sorriso largo e bom coração. Bruno Covas era esperança. E a esperança não morre: ela segue, com fé, nas lições que ele nos ofereceu em sua vida.

Muito obrigado, Bruno. Você foi e continuará sendo para todos nós, um eterno exemplo.

Ricardo Nunes (MDB), prefeito de São Paulo em exercício:

Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ex-presidente da República:

Geraldo Alckmin (PSDB), ex-governador de São Paulo:

Bruno Covas foi um dos mais talentosos e éticos políticos de sua geração. Teve uma vida dedicada à política praticamente desde o berço, seguindo o exemplo de seu avô, o inesquecível Mário Covas.

Conheci Bruno ainda muito jovem, no Palácio dos Bandeirantes, quando fui vice-governador de seu avô. Em meu governo, exerceu o cargo de secretário do Meio Ambiente com brilho e correção. Como deputado estadual e federal, sempre honrou os votos que recebeu dos paulistas.

Bruno lutou pela vida com coragem e fé, sendo transparente na prestação de informações aos paulistanos. Na última eleição, mesmo doente, deu uma aula de boa política ao mostrar que, mesmo nesses tempos de polarização extrema e irracional, é possível enfrentar um adversário apenas com ideias, princípios e valores, sem apelar para baixarias e ataques pessoais.

Bruno deixa um legado de bom administrador, com marcas que ficarão na história de São Paulo, a cidade que adotou. Perde São Paulo, perde o Brasil e, principalmente, perdem os amigos e a família.

Descanse em paz, Bruno. E que Deus abençoe aquele que o amam.

Rodrigo Garcia (PSDB), vice-governador de São Paulo:

Bruno Araújo, presidente do PSDB:

O PSDB perdeu uma de suas mais promissoras e brilhantes lideranças: o prefeito Bruno Covas. Depois de lutar bravamente, ele nos deixou nesta manhã. Jovem, mas com a bela história de alguém que muito construiu e muito ensinou. Deixa conosco o exemplo do trabalho pelo bem comum, do esforço para transformar e melhorar, da defesa inequívoca da democracia, da liberdade e do respeito. Deixa também a certeza de que "é possível fazer política sem ódio, fazer política falando a verdade".

Bruno pode ser definido pela coragem, pela alegria, pela juventude, pela dedicação e, claro, pelo sobrenome. Era neto de Mário Covas e, assim como o avô, jamais se omitiu, deixou-se abater ou desistiu diante das dificuldades. Também como o avô, nos fará uma enorme falta.

Bruno Covas nasceu na política e dela nunca se distanciou. Foi presidente da nossa Juventude, deputado estadual ainda com 26 anos e Secretário de Meio Ambiente. Deputado federal eleito em 2014, reforçou a nossa bancada na Câmara num momento extremamente importante e decisivo para o Brasil.

Ser prefeito de São Paulo, dizia ele, foi o maior desafio de sua vida. Mas foi também onde mais se viu seu firme propósito de garantir uma vida melhor para todos os cidadãos. Bruno Covas pôs o coração a serviço dos paulistanos. Novas escolas, novas creches, hospitais, moradia. A São Paulo de Bruno Covas é sustentável, inclusiva, conectada e solidária.

Ele nos deixa cedo, mas nos deixa muito. É e sempre será sinônimo de realização.

Nós, seus amigos tucanos, abraçamos o filho Tomás, seu inseparável companheiro de todos os momentos; os pais Renata e Pedro, e toda a família Covas. Neste dia triste, há, em cada canto deste país, muitos de nós lembrando e agradecendo a imensa alegria chamada Bruno Covas.

Morre Bruno Covas, prefeito de São Paulo; veja imagens da carreira política

Milton Leite (DEM), presidente da Câmara Municipal de São Paulo:

É com profunda tristeza e pesar que me despeço do meu grande amigo Bruno Covas. A partida precoce de Bruno representa uma lacuna irreparável para São Paulo e para todo o Brasil.

Mais do que o prefeito, o homem público preocupado e apaixonado por seu trabalho, Bruno sempre se mostrou um ser humano sensível e muito honrado. Construímos uma relação de respeito mútuo, companheirismo e lealdade, por isso choro a perda deste verdadeiro amigo.

Bruno deixa para todos nós um legado de dedicação à vida pública e ao bem comum. Nos deixa também um exemplo de muita força de vontade e coragem demonstradas nos últimos meses em sua luta pela vida.

Sua vocação política, herdada do avô Mario Covas, transformou profundamente muitas vidas em São Paulo. Nas periferias, que tanto visitamos juntos, sua visão ajudou a melhorar a rotina dos que mais sofrem. Jamais me esquecerei do nosso último encontro, quando ele sorriu mesmo na cama do hospital.

Continuaremos trabalhando incansavelmente por São Paulo tendo agora mais uma motivação: honrar e homenagear Bruno Covas, bem como todo amor e dedicação que ele sempre teve para com a nossa cidade.

Envio meus sinceros sentimentos de pesar aos familiares de Bruno, especialmente ao seu filho Tomás, a todos os amigos e à população de São Paulo. Bruno foi um homem com uma coragem jamais vista e será lembrado eternamente por isso. Que seu filho Tomás encontre forças para continuar vivendo. E lutando, sempre.

Rodrigo de Castro, líder do PSDB na Câmara dos Deputados:

A bancada do PSDB na Câmara recebe com profundo pesar e consternação a notícia do falecimento do prefeito de São Paulo, Bruno Covas. Sua partida prematura interrompe uma promissora trajetória e sua gestão à frente da prefeitura o credenciava a desafios maiores.

Mais do que o sobrenome do avô Mário, referência para o PSDB e para a política, Bruno trazia muitas das suas qualidades: retidão de caráter, compromisso com a coisa pública, excepcional capacidade de gestão e de articulação e, acima de tudo, um democrata, que nunca abriu mão de seus princípios e do respeito aos adversários, mesmo em meio a eleições acirradas, como a última que disputou.

O PSDB perde um grande companheiro, o povo paulistano e o Brasil perdem um dos maiores líderes da sua geração. Mas seus familiares e especialmente seu filho Tomás perdem muito mais: um pai amoroso, sempre presente e um ente insubstituível. A eles e aos amigos registramos nossa solidariedade e carinho.

Carlão Pignatari (PSDB), Presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo:

É com grande pesar que recebo a notícia do falecimento do prefeito de São Paulo, Bruno Covas. Na morte do saudoso Mário Covas, seu avô, eu era prefeito de Votuporanga e acompanhei a angústia daqueles dias. E hoje, infelizmente, a história se repete. Bruno sempre foi um homem íntegro, de diálogo, e lutou pelas grandes causas do nosso Estado, seja como deputado estadual e federal, secretário de Estado e agora como prefeito da capital. Que a sua brava luta pela vida seja inspiração para todos nós. Força à família nesse momento tão difícil.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente da República:

Dilma Rousseff (PT), ex-presidente da República:

Michel Temer (MDB), ex-presidente da República:

Marta Suplicy, ex-prefeita de São Paulo:

Fernando Haddad (PT), ex-prefeito de São Paulo:

Gilberto Kassab (PSD), ex-prefeito de São Paulo:

Luiza Erundina (PSOL), deputada federal e ex-prefeita de São Paulo:

José Serra (PSDB), senador da República:

Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul:

Tasso Jereissati (PSDB), senador da República:

Guilherme Boulos (PSOL), líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto):

Eduardo Suplicy (PT), vereador de São Paulo:

Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Congresso Nacional

Com muita tristeza recebo, neste domingo (16), a notícia do falecimento do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, 41 anos, que lutava incansavelmente contra um câncer. Bruno Covas era, sem dúvida, um dos maiores quadros da nossa geração, representante dos ideais da social democracia, valores defendidos pelo seu partido, o PSDB, que teve entre os fundadores o seu avô, Mário Covas.

Em 2015, ingressamos juntos na Câmara dos Deputados, onde convivemos até ele assumir o cargo de vice-prefeito de São Paulo, em 2017. Em 2019, tornou-se prefeito da capital e, no ano seguinte, em meio ao tratamento da doença, foi reeleito à prefeitura de São Paulo no segundo turno das eleições.

Uma carreira vitoriosa, tristemente interrompida hoje.

Em nome do Congresso Nacional, expresso os meus profundos sentimentos de pesar ao seu filho, à sua família e à população de São Paulo.

Randolfe Rodrigues (Rede), senador da República:

Flávio Bolsonaro (Republicanos), senador da República:

Arthur Lira (Progressistas), presidente da Câmara dos Deputados:

Luiz Fux, presidente do STF:

Bruno Covas partiu ainda muito jovem, mas deixou valiosas lições de perseverança e esperança a todos nós. Deu grande exemplo de dedicação à vida pública. Toda a minha solidariedade à família, ao filho e aos amigos.

Davi Alcolumbre (DEM), senador da República:

Jaques Wagner (PT), senador da República:

Baleia Rossi, presidente do MDB e deputado federal:

Eduardo Paes, prefeito do Rio

Felipe Santa Cruz, presidente da OAB:

Luiz Henrique Mandetta (DEM), ex-ministro da Saúde:

Ciro Gomes (PDT), ex-ministro:

Manuela D'Ávila (PCdoB), ex-deputada federal:

Jilmar Tatto (PT), ex-secretário de Transporte da cidade de São Paulo:

Wellington Dias (PT), governador do Piauí:

Marcelo Freixo (PSOL), deputado federal:

Rodrigo Maia, deputado federal:

Cláudio Castro (PSC), governador do Rio de Janeiro:

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp:

Perdemos hoje um jovem talento da política brasileira. Cedo demais o prefeito Bruno Covas se foi. Assim como seu avô, o governador Mario Covas, lutou bravamente pela vida e honrou o mandato que recebeu do povo paulistano até o final, sempre com altivez. Fica o exemplo de transparência e garra com que enfrentou a doença, além do espírito público com o qual serviu a sociedade nos vários cargos que ocupou em sua breve e produtiva trajetória. Quero expressar à família e aos amigos meus mais profundos sentimentos.

Onyx Lorenzoni, secretário-geral da Presidência:

Renan Calheiros (MDB), senador da República:

Política