PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

PSB tende a apoiar Lula, e esse é meu desejo, diz Freixo sobre novo partido

Do UOL, em São Paulo

11/06/2021 18h20Atualizada em 11/06/2021 20h39

O deputado federal pelo Rio de Janeiro Marcelo Freixo, que hoje anunciou sua saída do PSOL após 16 anos para integrar o PSB, afirmou que o seu novo partido deve apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição presidencial. Pré-candidato ao governo do Rio, Freixo também deixou claro que essa é a sua vontade.

Freixo fez as afirmações em entrevista conduzida pelo colunista do UOL Leonardo Sakamato e pelo apresentador Diego Sarza, durante edição da noite do UOL News.

Pelo que percebo, o PSB tende a apoiar o Lula e esse é o meu desejo.
Marcelo Freixo, deputado federal

O ex-psolista reforçou que não vê outro candidato possível para derrotar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que tentará a reeleição em 2022.

"Não tenho a menor dúvida hoje de que o Lula é o candidato que pode derrotar Bolsonaro", resumiu Freixo.

Articulação com Maia e a direita

Apesar de manter sua atenção na corrida presidencial, o foco maior de Freixo é tentar se eleger como governador do Rio. Para isso, o parlamentar disse que não descarta negociar uma aliança com o também deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e outras forças da direita.

    Claro que sim, não tenho a menor dúvida, e não é por questão eleitoral, é por marco democrático, o que está em jogo é o enfrentamento ao fascismo.
    Marcelo Freixo, deputado federal

    O parlamentar também afirmou que o próprio PSOL deve integrar uma "grande frente" para a eleição ao governo do Rio, no ano que vem.

    Sobre sua mudança de partido, Freixo justificou a decisão pelo momento político diferente do país. Freixo considera que é fundamental derrotar o bolsonarismo no estado fluminense.

    Eu nasci em 67, e evidentemente não peguei o pior da ditadura, em termos de compreender, e não tenho dúvida nenhuma que o pior momento da história política que eu vivi acontece agora, a maior ameaça à democracia, ao sistema político, à vida e à liberdade, é agora com o governo Bolsonaro. E foi uma relação muito forte com o Rio de Janeiro, não só o Bolsonaro é daqui, essa sociedade miliciana que ele representa e defende vem daqui.
    Marcelo Freixo, deputado federal

    "O fascismo nasce no Rio de Janeiro, quem governa o Rio de Janeiro hoje é o crime", acrescentou o parlamentar.

    Política