PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Mourão diz sentir falta de se reunir com Bolsonaro: 'É a vida, paciência'

General Hamilton Mourão, vice-presidente da República - Foto: Adnilton Farias/Flickr
General Hamilton Mourão, vice-presidente da República Imagem: Foto: Adnilton Farias/Flickr

Do UOL, em São Paulo

15/06/2021 12h39Atualizada em 15/06/2021 18h27

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) declarou na manhã de hoje que sente falta de ter reuniões com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao ser questionado se havia sido convidado para participar de uma reunião que reuniu ministros e autoridades.

Em resposta, o vice-líder do Executivo nacional declarou que não recebeu um convite.

Não, não fui convidado. Sinto falta [de reunir com Bolsonaro]. A gente fica sem saber o que está acontecendo, né?
Hamilton Mourão

Na sequência, Mourão declarou que considera importante saber o que está acontecendo com a gestão nacional. Ironizando a situação que contrasta com a sua vontade particular, o vice-presidente declarou: "Paciência, 'c'est la vie' [é a vida], como dizem os franceses".

A reunião de hoje, Palácio do Planalto, ocorreu entre Bolsonaro, ministros e representantes de bancos. O encontro, no entanto, não consta na agenda oficial do presidente.

Rusgas entre o presidente e o vice

Essa não é a primeira vez que o vice-presidente declara que não está mais fazendo parte da rotina de Bolsonaro. Em fevereiro deste ano, Mourão declarou que não estava incomodado em ficar de fora — pela segunda vez — de uma reunião ministerial. Na ocasião, Bolsonaro havia se reunido com ministros no Palácio do Planalto e não havia convidado o vice.

A ausência de convite fez com que Mourão fosse questionado sobre sua perspectiva, ao que ele respondeu que o presidente deveria ter julgado sua presença como "desnecessária" durante a reunião, ainda que ele seja o vice-presidente da República.

A redução dos encontros — que no início do ano eram novidade — tem se tornado parte da cultura de convivência entre os líderes do Executivo nacional. Hoje, no entanto, o vice-presidente já admite que gostaria que o contexto fosse diferente.

Há cerca de um mês, ao UOL Entrevista, o Mourão já tinha assinalado que Bolsonaro indicava que ele não ocuparia o cargo em uma possível disputa eleitoral em 2022. Ao mesmo tempo, Mourão declarou que "não morreria por causa disso".

Perguntado sobre uma possível candidatura ao Senado, Mourão preferiu não responder de forma objetiva, e desviou do assunto, na altura.

Por enquanto acompanho o presidente Bolsonaro, porque fui eleito para ser vice-presidente dele até 31 de dezembro do ano que vem Hamilton Mourão

Política