PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Aziz critica Bolsonaro: "somos governados em passeios de moto"

O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), durante uma sessão da comissão - Edilson Rodrigues/Agência Senado
O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), durante uma sessão da comissão Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

10/07/2021 18h48

O presidente da CPI da Covid e senador Omar Aziz (PSD-AM) usou as motociatas frequentadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para rebater as declarações do chefe do Executivo, dadas hoje em entrevista à Rádio Gaúcha.

"Estamos sendo governados em passeios de moto, lá que se resolvem os problemas", criticou Aziz ao UOL. Hoje, o presidente da República participou de uma motociata em Porto Alegre.

Mais cedo, Bolsonaro foi questionado se havia falado o nome do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), durante a reunião que teve com o deputado Luís Miranda (DEM-DF). "Eu não respondo sobre reunião. Tenho reunião com 100 pessoas por mês, dos assuntos mais variados possíveis. Eu não posso simplesmente, chegar qualquer coisa para mim e tomar providência imediatamente. Tomei providência nesse caso", disse o chefe do Executivo.

Para Aziz, Bolsonaro está "cada vez mais perdido". "Tempo para passear de moto ele tem, mas não tem para encaminhar uma denúncia? Ao invés de passear de moto, ele deveria visitar um hospital, famílias que perderam alguém pela covid", sugeriu o presidente da CPI.

O senador ironizou ainda dizendo que seria enviado um "questionário com múltiplas escolhas" para que Bolsonaro respondesse a respeito das denúncias de irregularidades feitas por Miranda sobre o contrato de compra da vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech. "Luís Miranda esteve com o senhor? Sim, não ou nenhuma. Talvez assim ele saiba responder ao povo brasileiro", disse Aziz.

A "sugestão" do questionário surge após, durante live semanal, Bolsonaro falar "caguei" a respeito da carta enviada pela CPI da Covid. "Hoje foi o Renan [Calheiros (MDB-AL)], o Omar [Aziz] e o saltitante, fizeram uma festa lá embaixo, na Presidência, entregando um documento para eu responder. Sabe qual a minha resposta, pessoal? Caguei", disse. Bolsonaro chama de "saltitante", em tom ofensivo, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI.

Aziz avaliou como "chulo" a resposta de Bolsonaro a carta da CPI. "O que nós queríamos era uma simples resposta a respeito das denúncias", disse o presidente da comissão. "É uma pena o presidente do país ter uma liturgia, que diz ser da em família, usar uma palavreado chulo."

Possibilidade de impeachment deixa Bolsonaro 'desesperado', diz Aziz

Aziz avalia que Bolsonaro está "desesperado" após pesquisa Datafolha apontar, pela primeira vez, que a maioria dos entrevistados se diz a favor da abertura do processo de seu impeachment. "A CPI não é para isso, mas ele está desesperado, é visível", disse o senador.

Em pesquisa anterior, houve um empate técnico, em 49% a 46%, entre favoráveis e contrários ao impeachment. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), tem 123 pedidos pedidos de impedimento do mandato de Bolsonaro. No entanto, o parlamentar mantém a mesma decisão: não irá avançar com qualquer pedido.

"O impeachment é muito mais que uma pesquisa, muita mais do que uma vontade da oposição, que eu nem sequer sei se quer", disse Lira, em entrevista à CNN Brasil. "As pesquisas refletem o momento, a minha obrigação é ouvir todos os deputados, a população, as demandas, mas com muito equilíbrio", complementou.

Política