PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

João Doria acena para ACM Neto após atrito: 'Acho que estaremos juntos'

O governador de São Paulo, João Doria acenou para o presidente nacional do DEM, ACM Neto - Divulgação/Flickr Governo do estado de SP
O governador de São Paulo, João Doria acenou para o presidente nacional do DEM, ACM Neto Imagem: Divulgação/Flickr Governo do estado de SP

Colaboração para o UOL

03/08/2021 20h41

Pré-candidato pelo PSDB ao pleito presidencial de 2022, o governador de São Paulo, João Doria, fez um aceno ao ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, visando uma provável aliança com o político.

Em entrevista ao podcast "Flow", no YouTube, o tucano afirmou que mantém uma boa relação com ACM, e não descartou a possibilidade de unir forças ao ex-prefeito para a construção de uma terceira via em oposição às campanhas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do ex-prefeito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Gosto do ACM, tenho uma boa relação com ele. É um bom nome, jovem, foi bom prefeito. Mais adiante acho que vamos estar juntos nessa mesma frente liberal para fazer a melhor via pelo Brasil, incluindo o [senador] Tasso Jereissati", declarou o governador paulista.

Apesar de João Doria alegar que mantém uma boa relação com o presidente do DEM, os dois entraram em atrito após o tucano agir para conduzir a migração do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, do DEM para o PSDB.

Em maio, em entrevista ao UOL, o ex-prefeito de Salvador afirmou que o movimento de Doria o teria deixado "isolado" e sem o apoio do DEM a sua eventual candidatura ao Palácio do Planalto.

"Não vamos comprometer essa relação de amizade histórica dos dois partidos. Mas o que nesse momento está obstruído é o diálogo com o Doria", declarou. "Se você me perguntar: vão deixar de conversar com o PSDB? De maneira alguma. Porém, hoje, está descartado o apoio a uma eventual candidatura de Doria à Presidência da República", completou.

Prévias no PSDB

Doria, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o senador do Ceará Tasso Jereissati e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio, disputam as prévias para definir o candidato do PSDB nas eleições de 2022. Essa disputa interna é bem vista pelo governador de São Paulo, que disse acreditar no "processo democrático", e descartou a possibilidade de, caso seja eleito para a disputa, passe a ser "cristianizado" pela bancada de deputados tucanos.

Em recente entrevista ao Valor Econômico, ele apontou que o candidato escolhido nas prévias sairá "fortalecido para ampliar o diálogo com outros partidos do chamado polo democrático, e isso vai fortalecer aquilo que tenho classificado como a 'melhor via' e não a terceira via". Ainda segundo o tucano, "não haverá cristianização, mas, sim, o fortalecimento do PSDB", ressaltando haver um consenso dentro do partido de que os derrotados irão apoiar o eleito pela sigla para disputar o Planalto.

Política