PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Anvisa sugere quarentena à comitiva do Brasil após Queiroga testar positivo

Presidente Jair Bolsonaro e comitiva visitam memorial às vítimas do 11 de Setembro em Nova York - Isac Nóbrega/PR
Presidente Jair Bolsonaro e comitiva visitam memorial às vítimas do 11 de Setembro em Nova York Imagem: Isac Nóbrega/PR

Do UOL, em São Paulo

22/09/2021 08h46Atualizada em 22/09/2021 09h01

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomendou hoje que todos os membros da comitiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos Estados Unidos, que tiveram contato com o ministro da Saúde Marcelo Queiroga, adotem medidas de isolamento social ao desembarcarem no Brasil.

Queiroga anunciou ontem que testou positivo para covid-19 antes de pegar o voo de volta ao Brasil. Ele permanecerá em quarentena em Nova York, nos Estados Unidos, onde a comitiva brasileira participou da Assembleia Geral da ONU (Organizações das Nações Unidas). O presidente Bolsonaro chega hoje ao Brasil.

Queiroga é o segundo integrante da comitiva brasileira a se contaminar pelo coronavírus. Anteontem foi divulgado que um diplomata, que organizou os preparativos para a viagem presidencial, também testou positivo.

O ofício da Anvisa foi enviado de madrugada à Casa Civil. Entre as orientações, a agência sugere que o desembarque no Brasil seja feito de forma a expor o mínimo possível outras pessoas e ambientes, além de isolamento por 14 dias a partir do último dia de contato com o ministro Queiroga.

O isolamento deve ser cumprido na cidade de desembarque no Brasil, ressalta a Anvisa, "evitando novos deslocamentos até que tenham ultrapassado o período de transmissibilidade do vírus".

Os testes de covid-19 também devem ser refeitos no Brasil. A recomendação também deve ser seguida pelo presidente Bolsonaro.

"Adicionalmente, depois do desembarque, a Anvisa propôs que seja realizada a limpeza e desinfecção da aeronave conforme protocolos de higienização", informou a Casa Civil.

Política