PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Mandetta publica vídeo de março de 2020 com crítica a Prevent: 'Alertei'

Ueslei Marcelino/Reuters
Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Do UOL, em São Paulo

23/09/2021 20h38

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) resgatou hoje um vídeo de março de 2020 para criticar a rede Prevent Senior e dizer que alertou quanto à operadora.

"31 de março de 2020. Alertei. Fui impedido de trabalhar 16 de abril. Quanta barbaridade", escreveu ele no Twitter.

Na gravação, Mandetta expressa preocupação com um dos hospitais mantidos pela rede, que havia registrado 80 das 136 mortes registradas até então em São Paulo. "Não tem que proibir o hospital, o hospital existe e tem todos esses idosos lá dentro ao mesmo tempo e já se constituiu um ambiente de transmissão elevado lá dentro", diz.

Naquela época, quase 90% das vítimas da doença no país eram de pessoas com mais de 60 anos.

Na última semana, a Prevent Senior está no centro de uma série de denúncias. Um dossiê entregue à CPI da Covid por médicos que dizem ter trabalhado na rede acusa a empresa de ministrar medicamentos do chamado kit covid sem o consentimento dos pacientes ou da família, para conduzir uma espécie de "estudo clínico". Mortes que aconteceram durante o experimento também teriam sido mascaradas.

As acusações foram negadas pelo diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Batista Júnior, em depoimento à CPI ontem, mas ele confirmou que houve a orientação para que os médicos modificassem o CID (código de diagnóstico) de pacientes que deram entrada com covid-19, após 14 ou 21 dias, a depender do caso de cada um.

Ele alegou que a medida foi tomada para que se identificassem pacientes que não representariam mais riscos de transmissão do novo coronavírus. Senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito, porém, enxergaram uma tentativa de manipulação e subnotificação de casos e mortes.

Política