PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Jornal: Acesso pelo Wi-Fi Brasil exige que usuário veja vídeo do governo

Ministro das Comunicações, Fábio Faria; programa do governo exibe vídeo de propaganda a cada acesso de internet  - Adriano Machado/Reuters
Ministro das Comunicações, Fábio Faria; programa do governo exibe vídeo de propaganda a cada acesso de internet Imagem: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

27/09/2021 10h25Atualizada em 27/09/2021 19h12

O programa Wi-Fi Brasil, do Ministério das Comunicações, faz com que seus beneficiários assistam a uma peça publicitária de 30 segundos do Governo Federal cada vez que acessam a internet, publica hoje o jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com a reportagem, o vídeo é exibido a cada novo acesso pelo programa que tem como objetivo promover a inclusão digital por meio de conectividade de alta velocidade em comunidades em estado de vulnerabilidade social.

O único aplicativo que abre sem a publicidade é o WhatsApp. Nos demais, diz o jornal, a cada novo acesso é exibido um vídeo que mostra medidas da gestão de Bolsonaro na área social, como o 13º salário do Bolsa Família e a instalação de sinal de internet em escolas.

De acordo com informações do site do Ministério das Comunicações, o programa Wi-Fi instalou até o momento 14,1 mil pontos de internet de banda larga no Brasil. A maioria deles está localizada em escolas (10 mil pontos), mas unidades de saúde, aldeias indígenas e unidades de serviço público localizadas em áreas remotas também são atendidas pelo programa.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, na inauguração de um ponto de acesso em Santa Filomena (PI), no dia 20 de maio, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse que a internet era uma fonte alternativa de informações em oposição ao que chamou de "notícias contra o presidente".

O vereador carioca Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), também esteve no evento e subiu ao palco, sendo apontado por Fábio Faria como o "responsável" pela eleição do pai em 2018. Carlos é considerado uma espécie de mentor da comunicação do presidente nas redes sociais.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o Ministério das Comunicações disse que "a veiculação de vídeos institucionais está prevista no projeto básico da implantação de pontos de acesso gratuito à internet em localidades públicas, pelo programa Wi-Fi Brasil" e é instrumento importante "de divulgação de mensagens de utilidade pública".

Em nota enviada ao UOL, o Ministério das Comunicações afirma que "a medida é legítima e atende ao parágrafo primeiro do artigo 37 da Constituição Federal, que determina que a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos".

Política