PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

'Depoimento mais importante da semana', diz Randolfe sobre Bruna Morato

Colaboração para o UOL

28/09/2021 09h21Atualizada em 28/09/2021 11h09

O senador e vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (REDE- AP), ressaltou hoje a importância do depoimento da advogada Bruna Morato, que representa o grupo de 12 médicos insatisfeitos com atitudes da operadora de saúde Prevent Senior.

"É o depoimento mais importante da semana. A Dra. Bruna hoje terá oportunidade e esse conjunto de informações que ela tem é muito robusto para contradizer o que foi dito anteriormente pelo executivo representante da Prevent Senior e trazer os elementos de prova", afirmou o senador durante o UOL News desta terça-feira (28).

O depoimento está marcado para as 10h. Ela afirma só ter "uma história, que é a verdade". A oitiva com Bruna expõe um confronto de versões, em especial quanto às circunstâncias que envolvem a elaboração do dossiê, o encaminhamento das denúncias aos senadores e a tentativa de um acordo entre as partes.

Segundo Rodrigues, não cabe a advogada apresentar as provas. "Tem um conjunto de documentos que estamos requisitando da Prevent Senior, que são os prontuários dos pacientes que foram tratados com o tratamento precoce. Nós esperaremos da Dra. Bruna isso, mas não cabe a ela apresentar as provas, além do que ela já está dizendo. Nós estamos também requisitando da Prevent Senior".

Para Randolfe, a investigação contra a Prevent Senior só está começando e não terminará na CPI. "A autonomia do médico foi violentada, os médicos eram obrigados a prescrever o tratamento precoce ou então eram ameaçados de desligamento", afirma. "É a busca desenfreada por lucros e a aliança com o governo Jair Bolsonaro", completa.

Luciano Hang

Na quinta-feira (23), o empresário Luciano Hang foi mencionado por diversas vezes durante o depoimento à CPI do diretor da operadora de saúde Prevent Senior, Pedro Batista Júnior. Isso porque, após ser contaminada pela covid-19, a mãe do empresário, Regina Modesti Hang, foi hospitalizada em uma unidade da rede, em São Paulo. Ela acabou morrendo em virtude de complicações da doença.

Segundo Rodrigues, o depoimento de Hang está dentro de um contexto que em a CPI não pode concluir sem avançar sem ele, que é "a utilização de fake news que agravaram a pandemia". "Essas fake news têm uma relação direta com a pandemia. Tem algumas pontas que a CPI não pode concluir sem fechá-las, uma é delas é essa das fake news", completa.

Para o senador, não há razão para Hang se preocupar com prisão. "A CPI não teve essa intenção com nenhum depoente e não terá com relação a ele", afirmou.

Brigas na CPI

Randolfe destaca que tumulto, confusão, provocação atrapalha a CPI. "Ir para as vias de fato só interessa os colegas governistas e aqueles que querem impedir ou blindar a investigação", ressaltou.

"Tem que ter muito sangue frio, muito chá de camomila nessas duas semanas da reta final. Muita tranquilidade para nós chegarmos a um bom termo no relatório final e não aceitarmos provocações", afirmou. "A única coisa que pode estragar o final da CPI é nós cairmos em algum tipo de provocação", completa.

Política