PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Bolsonaro diz que 'será um prazer' debater com Lula em 2022

O presidente Jair Bolsonaro em entrevista à Jovem Pan - Reprodução/Youtube/JovemPan
O presidente Jair Bolsonaro em entrevista à Jovem Pan Imagem: Reprodução/Youtube/JovemPan

Do UOL, em São Paulo

28/09/2021 08h31Atualizada em 28/09/2021 08h47

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse ontem que será "um prazer" debater com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) caso os dois sejam candidatos às eleições no ano que vem.

Em entrevista à Jovem Pan, o chefe do Executivo minimizou a força eleitoral do petista quando os jornalistas citaram pesquisas de intenção de voto que o colocam à frente na disputa pelo Palácio do Planalto no ano que vem.

"Lula tem voto. Não é quem não tem voto. Mas não é isso que estão botando aí. Ele não consegue tomar uma tubaína na esquina, em qualquer lugar, que vai ser escrachado. Ele não consegue andar por lugar nenhum do Brasil", disse o presidente sobre seu possível adversário.

Debate com ele: se, porventura, vier [a ser] candidato, pô, será um prazer debater com ele Jair Bolsonaro sobre Lula

Em 2018, Bolsonaro declinou o convite para participar da maioria dos debates (ele compareceu aos dois primeiros, da Band e da RedeTV!) e sofreu um atentado na reta final das eleições. Pela primeira vez desde a redemocratização, o segundo turno não teve nenhum debate.

Em várias oportunidades durante a entrevista, Bolsonaro colocou sua candidatura à reeleição na condicional, mas crê que se o segundo turno fosse hoje, ele e o petista seriam os candidatos. "Se eu vier a candidato, hoje em dia, seria eu e ele. Não sei amanhã."

Pesquisa Ipec divulgada na última quarta-feira (22) mostra Lula liderando o primeiro turno das eleições presidenciais de 2022 em dois cenários distintos, com mais de 20 pontos percentuais de vantagem para Bolsonaro.

O Ipec foi criado em fevereiro por ex-executivos do Ibope Inteligência, que encerrou suas atividades em janeiro deste ano em razão do término de um acordo de licenciamento com a Kantar Group.

No primeiro cenário, em que foram considerados apenas cinco candidatos, Lula aparece com 48% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro tem 23%. Considerando a margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, o petista poderia chegar a 50%, no limite para ser eleito em primeiro turno. Já Bolsonaro ficaria com, no máximo, 25% pela margem de erro.

Política