PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
6 meses

Villa: Sergio Moro se diz liberal; ser liberal é escolher osso de 1ª ou 2ª?

Do UOL, em São Paulo*

08/11/2021 12h50Atualizada em 09/11/2021 09h52

O historiador e colunista do UOL Marco Antonio Villa disse hoje, durante o UOL News, que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro — que se filiará ao Podemos na quarta-feira (10) — afirma ser liberal, no entanto, as opções entre o grupo para as eleições de 2022 será escolher entre ossos de "primeira" ou de "segunda".

Villa declarou ter o desejo de que alguém definisse a ele o que é ser liberal, em especial, para as eleições do próximo ano. O ex-juiz do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) deve se candidatar ao Palácio do Planalto.

"Moro vai ter que se encaixar. Ele diz que é liberal, mas eu queria saber, que as pessoas me explicassem, o que é ser liberal no Brasil. Ser liberal é privatizar? Queria que me explicassem para eu entender um pouquinho o que é ser liberal em 2022. Se é escolher osso de primeira ou de segunda? Porque hoje é a opção na maior parte dos brasileiros é o osso com a possibilidade de escolher se é de primeira ou de segunda", disparou o historiador.

Oficialmente, Moro ainda não anunciou a disposição de concorrer à Presidência, mas já vem organizando sua candidatura nesse sentido. Sua entrada na disputa, porém, vai depender de seu nome pegar tração nas pesquisas dentro do campo da terceira via.

Segundo o colunista, Moro vai encontrar na política um terreno completamente diferente do que ele lidava no Poder Judiciário e, por isso, o ex-ministro vai precisar ter uma agenda política clara e construir uma candidatura no resto do país.

Se ele [Moro] for candidato à presidência da República ocorrerão vários debates nos quais ele deve estar presente. Aí não é a situação de juiz, você não está em uma cadeira aqui em cima e lá embaixo está o advogado, o Ministério Público, não. Agora estão entre iguais e em cada coisa que você fala, você recebe a resposta adequada. Então, vai ser um enfrentamento que ele vai ter que ele aprender a fazer, porque eu acredito que ele ainda não sabe fazer.
Marco Antonio Villa no UOL News

Hoje, a dois dias de assinar sua ficha de filiação no Podemos para, possivelmente, se candidatar ao Planalto em 2022, o ex-ministro da Justiça subiu o tom nas críticas ao fim da prisão em segunda instância. A decisão foi tomada dois anos atrás pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e, na avaliação feita por Moro hoje nas suas redes sociais, "libertou corruptos".

Prestes a entrar formalmente na política, Moro tem ampliado suas declarações públicas sobre temas que poderão ser centrais numa eventual campanha presidencial. E o combate à corrupção e à impunidade já se tornou agenda natural para o ex-juiz nesse início de movimentação política.

Até o fim do mês passado, Moro vinha adotando cautela nessas manifestações, já que ainda tinha vigente seu contrato de consultoria com a Alvarez & Marsal. Com o fim do compromisso, o ex-ministro confirmou a decisão de se filiar ao Podemos.

Bolsonaro critica ex-ministro

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje, em entrevista à Rádio Jovem Pan do Paraná, que o ex-ministro sempre teve um propósito político, mas agia de forma camuflada.

Moro largou a magistratura no final de 2019 para integrar o Governo Bolsonaro como ministro da Justiça e Segurança Pública, sendo que deixou o cargo em abril de 2020 acusando o presidente de tentativa de interferência na PF (Polícia Federal). O ex-juiz agora é cotado a se lançar candidato a presidente da República em 2022.

"Você começa a entender um pouco mais as coisas, começa a entender o que eu passei com o ministro Sergio Moro. Ele sempre teve um propósito político, nada contra, mas fazia aquilo de forma camuflada", disparou Bolsonaro.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Política