PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
6 meses

Ernesto Araújo critica governo Bolsonaro: 'Virou base do Centrão'

Colaboração para o UOL, em Brasília

16/11/2021 14h41

Em um congresso conservador em Santa Catarina, o ex-ministro das Relações Exteriores e diplomata Ernesto Araújo criticou a aproximação do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o Centrão. O evento foi transmitido ao vivo e ocorreu no fim de semana.

"Surgiu aquela coisa: 'Precisamos fazer do Centrão a base do governo'. O que a gente viu é que o governo virou a base do Centrão", disse em um painel do congresso.

As críticas seguiram, inclusive, em forma de metáfora de pílulas azuis e vermelhas. O conceito, popularizado pelo filme Matrix, indica que a pílula azul é a escolha pela ignorância, enquanto a vermelha trata da realidade.

"O pior é que colocaram uma pílula azul no café do presidente da República. Azularam completamente o governo e a atuação do presidente [...] Um governo, que foi eleito por uma grande tomada de pílula vermelha, resolveu tomar a pílula azul. Às vezes eu acho que em alguma reunião ministerial que eu não estava distribuíram a pílula azul e todo mundo tomou".

Além disso, o ex-ministro disse que há uma certa covardia por membros do governo que não "enfrentam o sistema, seja por falta de coragem, convicção ou por interesse pessoal".

Dois anos no Ministério

Na época alinhado com Bolsonaro, o diplomata assumiu o Ministério das Relações Exteriores em janeiro de 2019 e permaneceu na chefia da pasta até março de 2021, quando pediu demissão.

O então ministro alegou ter sofrido pressões políticas quando ocupava a vaga no Ministério. Logo em seguida, Araújo foi substituído pelo também diplomata Carlos França.

Em setembro, o ex-ministro recebeu uma licença de um ano e não atuará como diplomata até 30 de agosto de 2022. Segundo a coluna de Jamil Chade, do UOL, Araújo não receberá salário durante o período afastado. O Ministério das Relações Exteriores apenas indicou que ele terá "licença para tratar de interesses particulares".

Política