PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Moro diz que STF cometeu erro judiciário: 'Nunca tive animosidade com Lula'

Sergio Moro, ex-juiz e ex-ministro da Justiça, é candidato do Podemos à Presidência  - Adriano Machado/Reuters
Sergio Moro, ex-juiz e ex-ministro da Justiça, é candidato do Podemos à Presidência Imagem: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

23/11/2021 22h33

O ex-ministro da Justiça e ex-juiz federal Sergio Moro (Podemos) disse hoje que nunca teve "nenhuma animosidade pessoal" com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Responsável por julgar os processos da operação Lava Jato em Curitiba, foi ele quem determinou a prisão do petista.

"Eu proferi uma sentença contra o presidente em 2017 baseado em provas, baseado em fatos, baseado na lei. A decisão foi confirmada pelo Tribunal de Apelação de Porto Alegre. Essa decisão foi confirmada pelo Superior Tribunal de Justiça aqui em Brasília. O presidente só foi preso quando o Supremo autorizou, em março de 2018", disse, em entrevista à CNN Brasil.

Moro também defendeu que tomou a decisão com tranquilidade. Isso porque, segundo ele, "era isso que determinavam as provas".

O ex-juiz também declarou que, na visão dele, a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de junho deste ano, que declarou que Moro foi parcial ao julgar Lula no processo do tríplex do Guarujá (SP), foi um "erro judiciário". Segundo ele, "o tempo vai dizer isso".

O agora político do Podemos disse acreditar que, mesmo se não fosse preso, Lula não teria vencido a eleição de 2018. Moro justificou dizendo que o petista "apresentou um candidato que usava máscara de papel dele [Lula] e mesmo assim esse candidato perdeu", em referência a Fernando Haddad (PT). Já o petista costuma dizer que foi preso politicamente justamente para não ser eleito.

"O ex-presidente insistiu na sua candidatura em 2018 quando estava inelegível. E, no fundo, ele foi poupado de uma derrota, porque havia na memória das pessoas muito claro não só esses modelos de corrupção do Partido dos Trabalhadores, mas a grande recessão de 2014 a 2016, as pessoas se esquecem. E as sementes dessa recessão foram plantadas durante o governo Lula", disse.

Pesquisa mostra Lula liderando e Moro em terceiro

A pesquisa eleitoral divulgada ontem pelo instituto Paraná Pesquisas mostra Lula (PT) na frente em todos os cenários de primeiro turno. O petista é seguido de perto pelo atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e em terceiro lugar aparece o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), que se filiou no último 10.

No primeiro cenário da pesquisa estimulada, Lula lidera com 34,9% das intenções de voto, Bolsonaro tem 29,2% e Moro 10,7%. A margem de erro, de acordo com o instituto, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos nos resultados gerais.

Esta foi a primeira pesquisa do instituto em que o nome de Moro foi considerado. O quarto lugar foi ocupado por Ciro Gomes (PDT), com 6,1%.

Política