PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Ex-aliado, Santos Cruz diz que Bolsonaro faz 'sem-vergonhice' e é 'traidor'

Colaboração para o UOL

02/12/2021 11h50Atualizada em 02/12/2021 18h58

O general Santos Cruz (Podemos), ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, chamou, durante o UOL Entrevista hoje (2), o presidente Jair Bolsonaro (PL) de 'sem-vergonha' e 'traidor'.

"Não tem ingenuidade, tem 'sem-vergonhice'. Prometer uma coisa, e depois não fazer. Você não pode considerar um parlamentar que tinha 28 anos de Câmara como ingênuo", disse aos jornalistas Fabíola Cidral, Josias de Souza e Carla Araújo. Ele foi questionado sobre a promessa de negociação política sem "toma lá, dá cá".

Durante a entrevista, Santos Cruz ainda definiu Bolsonaro como "traidor".

O grande traidor desse país se chama Jair Messias Bolsonaro. Ele destruiu quase todas as instituições por onde teve alguma atuação mais intensa. Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Saúde...Toda instituição onde ele colocou a mão.
General Santos Cruz (Podemos)

Pré-candidatura

Ventilado como pré-candidato ao Senado nas eleições do próximo ano, o general Santos Cruz afirmou ao UOL Entrevista que a tendência é disputar alguma vaga no Congresso. Ele citou Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre como possíveis redutos eleitorais.

Apoiador da pré-candidatura de Sergio Moro (Podemos) à Presidência da República, Cruz disse que a chegada do ex-juiz e ex-ministro da Justiça na disputa diminuiu a polarização entre Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Os dois atuaram na destruição da democracia", avaliou.

Pesquisa do Instituto Atlas Político divulgada na terça-feira (30) mostra que Moro tirou votos de Bolsonaro, Ciro Gomes (PDT) e João Doria (PSDB). O ex-juiz aparece com 13,7%, em terceiro lugar, atrás de Lula (42,8%) e Bolsonaro (31,5%).

Política