PUBLICIDADE
Topo

Política

Doria e Moro se encontram na casa da presidente do Podemos em SP

O governador João Doria entrega ao ex-ministro Sergio Moro a Ordem do Ipiranga, no Palácio dos Bandeirantes, em 2019 - Eduardo Knapp/Folhapress
O governador João Doria entrega ao ex-ministro Sergio Moro a Ordem do Ipiranga, no Palácio dos Bandeirantes, em 2019 Imagem: Eduardo Knapp/Folhapress

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 18h20Atualizada em 08/12/2021 20h24

O governador João Doria (PSDB-SP) e o ex-ministro Sergio Moro (Podemos) se encontraram na tarde de hoje em São Paulo. Os dois são pré-candidatos ao Planalto nas eleições do ano que vem.

O encontro ocorreu na casa da deputada federal Renata Abreu (Podemos-SP), presidente nacional do partido do ex-juiz, e contou com a presença do vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB). Moro veio para a capital paulista para o evento de lançamento do seu livro, realizado ontem (7) em um hotel de luxo em São Paulo.

Segundo o UOL apurou, a reunião foi intermediada por Abreu. Doria e Moro sempre tiveram boas relações e já declararam estar "do mesmo lado em 2022", embora não necessariamente na mesma candidatura.

Desde que lançou a sua pré-candidatura, no meio do mês passado, com a filiação ao Podemos, Moro passou a despontar em terceiro lugar das pesquisas e é apontado como um dos nomes mais viáveis de uma terceira via de centro-direita.

Oficialmente, os dois debateram "o futuro do Brasil". Na mesa, no entanto, estava a possibilidade real de uma aliança entre ambos para o ano que vem. A questão é quem cederia.

Dentro do PSDB, há um grupo que prega que o partido abra mão da candidatura em abril do ano que vem caso outro candidato de centro-direita esteja melhor posicionado nas pesquisas. Com a vitória de Doria sobre o governador Eduardo Leite (PSDB-RS) nas prévias do partido, essa possibilidade perdeu força.

Publicamente, Doria já afirmou considerar a ideia de desistência em prol de um nome mais forte para enfrentar Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL), mas seu círculo próximo considera muito improvável que, depois de um processo tenso de prévias, ele abandone a disputa do ano que vem. O paulista nunca negou sua vontade de assumir a cadeira na Presidência da República.

Com discurso político em aprimoramento, Moro tem seguido uma rotina de encontro com lideranças enquanto roda o país para lançar seu livro. No último sábado (4), foi a Porto Alegre encontrar com Leite no Palácio Piratini. Hoje, antes de ver Doria, ele almoçou com o cientista político Felipe d'Avila, pré-candidato do Novo à Presidência, em um restaurante no Itaim Bibi, zona oeste da capital.

"É preciso construir para o Brasil um projeto equilibrado, olhando para o futuro, para o resgate da esperança dos brasileiros e brasileiras", disse Moro, por meio de assessoria de imprensa, após o encontro.

Doria também só se pronunciou por meio da assessoria —embora esteja acostumado a comentar sobre suas atividades nas redes sociais. "O encontro foi positivo para construção de uma base centro-liberal com sentimento de proteção do Brasil e dos brasileiros", disse.

Política