PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Governo cancela evento presencial do Mercosul antes de homenagem a Lula

O presidente da República, Jair Bolsonaro, discursa na 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Santa Fé, Argentina. - Reprodução
O presidente da República, Jair Bolsonaro, discursa na 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Santa Fé, Argentina. Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 18h15

O governo de Jair Bolsonaro (PL) cancelou o evento presencial entre presidentes do Mercosul e decidiu realizá-lo através de videoconferência no próximo dia 17 de dezembro. A informação foi antecipada pelo jornal "O Globo", e confirmada pela assessoria do Itamaraty ao UOL.

Segundo a publicação, o motivo principal seria a descoberta da nova variante do coronavírus, a ômicron, mas fontes garantem que a viagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Argentina, na próxima sexta-feira, também pode ter contribuído para a mudança de planos do evento.

Questionado pela reportagem do UOL sobre o motivo que levou ao cancelamento presencial, o Itamaraty não respondeu. (Leia nota abaixo).

O encontro entre líderes do Mercosul acontece em um contexto de tensões diplomáticas, principalmente entre as duas maiores economias da América do Sul: Brasil e Argentina.

Desde a eleição em primeiro turno do presidente argentino Alberto Fernández, em outubro de 2019, Bolsonaro já criticou diversas vezes a gestão da nação vizinha, que segundo ele é governada pela "esquerdalha". O brasileiro se considerava aliado do ex-presidente Mauricio Macri, de tendência liberal que não conseguiu ser reeleito.

Em junho deste ano, Fernández provocou polêmica no Brasil ao afirmar que "os brasileiros saíram da selva, mas nós os argentinos chegamos de barco". "E eram barcos que vieram da Europa", completou. Posteriormente, ele pediu desculpas pelos comentários.

"Não quis ofender a ninguém, de qualquer forma, a quem se sentiu ofendido ou invisibilizado, desde já minhas desculpas", afirmou ele, na ocasião.

Lula na Argentina

O ex-presidente Lula deve chegar nesta sexta-feira (10) para receber o Prêmio Azucena Villaflor, entregue pelo governo da Argentina a defensores dos Direitos Humanos. Lula também será homenageado por sua luta contra o lawfare —abuso da Justiça para alcançar fins políticos e ilegítimos.

Segundo o PT (Partido dos Trabalhadores), a cerimônia será dirigida pelo presidente Alberto Fernández, com quem Lula se reunirá na Casa Rosada no início de sua agenda de visita à Argentina.

Nota do Itamaraty

A "LIX Reunião Ordinária do Conselho do Mercado Comum" e a "LIX Cúpula do MERCOSUL e Estados Associados" serão realizadas por videoconferência nos dias 16 e 17 de dezembro, respectivamente.

Política