PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Pensando em voto, vice ideal deve ser nordestino ou mineiro, diz Bolsonaro

"Um vice que estamos trabalhando... Pode ser um general de 4 estrelas também", acrescentou Bolsonaro - Adriano Machado/Reuters
"Um vice que estamos trabalhando... Pode ser um general de 4 estrelas também", acrescentou Bolsonaro Imagem: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 21h19Atualizada em 09/12/2021 10h54

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse hoje que um candidato "ideal" a vice-presidente para compor sua chapa nas eleições de 2022 deve ser do Nordeste ou de Minas Gerais — dois grandes colégios eleitorais —, para ser capaz de conquistar mais votos. Sem revelar nomes, ele também adiantou que já conversa com um possível vice, que deve ser anunciado em março ou "pouco depois".

"O ideal, se pensar em voto, além da competência, é um [candidato a vice] nordestino ou mineiro", afirmou o presidente ao programa "Hora do Strike", da Gazeta do Povo. "Não existe nada acertado, mas já estou conversando com um possível vice aí. Não pode ser um casamento de última hora, né? E esse nome fará bem para mim, para o governo, para o Brasil. Tem que ser um nome respeitado."

[Mas] A gente não está pensando em ter uma chapa para ganhar eleição e depois não poder governar. Isso é horrível, é péssimo, né? Ter um vice que te atrapalha. Então, um vice que estamos trabalhando aí... Pode ser um general de quatro estrelas também, pode ser. E vai acontecer em março, talvez um pouco depois, a gente anuncia o nome dele. [Vai ser] Um nome que agregue e dê respeitabilidade a nossa chapa.
Jair Bolsonaro, ao "Hora do Strike"

Na segunda-feira (6), em conversa com apoiadores, Bolsonaro já havia dito que seu candidato "ideal" a vice para 2022 seria alguém que "não dê trabalho e que some". Ele ainda criticou pessoas de seu entorno — sem, no entanto, revelar quem — que estariam tentando "pregar" na imprensa um nome para ser seu vice nas próximas eleições.

"Acertei com o Valdemar [Costa Neto, presidente do PL] muita coisa. Não está escolhido o vice. O vice quem vai escolher sou eu. Essas notas que são pregadas na imprensa... A gente sabe quem está pregando, lamentavelmente, para tumultuar. É gente nossa, tá? Não foi invenção. Essa não foi invenção da imprensa, foi pregação de gente nossa. Gente querendo se cacifar", reclamou.

Pesquisas em xeque

Ao "Hora do Strike", Bolsonaro também acusou de fraude as pesquisas eleitorais, mas sem especificar quais, nem apresentar provas. Para o presidente, que citou sua vitória como personalidade de 2021 na eleição popular da revista Time, as enquetes feitas nas redes sociais, sem nenhum rigor metodológico, seriam mais confiáveis.

"Está cada vez mais na cara que as pesquisas [eleitorais] são fraudadas", disse Bolsonaro. "[Enquete de internet] É mais sincero e espontâneo. Pessoal mais humilde já tem telefone e cada vez mais interage com a política".

A declaração, gravada pela manhã e exibida agora à noite, é feita no mesmo dia em que um levantamento Genial/Quaest mostrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) próximo de uma vitória no primeiro turno, caso as eleições de 2022 fossem hoje, além de um crescimento de Sergio Moro (Podemos) e sua consolidação em terceiro lugar nas intenções de voto.

Segundo a pesquisa, Lula tem 46%, contra 23% de Bolsonaro e 10% de Moro. Depois vêm Ciro Gomes (PDT), com 5%, e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 2%.

(Com Estadão Conteúdo)

Política