PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
5 meses

Weintraub anuncia volta ao Brasil em vídeo com polêmicas e ataques a Doria

Ex-ministro da Educação Abraham Weintraub - ADRIANO MACHADO
Ex-ministro da Educação Abraham Weintraub Imagem: ADRIANO MACHADO

Do UOL, em Brasília

10/01/2022 16h57

Nos Estados Unidos desde junho de 2020, o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub confirmou que retornará ao Brasil no sábado (15). O anúncio foi feito em um vídeo recheado de termos polêmicos e rivalizando o atual governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Logo no início, é possível ouvir a voz de Weintraub dizendo: "Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia". Na fala original, ele disse que começaria no STF (Supremo Tribunal Federal), mas esse pedaço foi cortado do vídeo publicado hoje.

Em outro momento, a palavra "lockdown" é rapidamente sobreposta pela escrita do termo "ditadura no Brasil". Imagens de policiais realizando prisões também apareceram na montagem do vídeo.

No fim, antes de anunciar sua data de retorno, o ex-ministro fala: "Não vim para jogar o jogo, vim para lutar", em referência à possível participação dele como candidato nas eleições de 2022.

A volta de Weintraub para o país seria justamente para tentar ocupar o atual cargo de Doria, que aparece rapidamente no vídeo usando máscara e segurando um microfone durante uma coletiva.

Apesar de ser pré-candidato do PSDB para a corrida presidencial desse ano, Doria é o único político a ter o rosto incluído no vídeo postado por Weintraub, que pode tentar rivalizar com o PSDB pelo governo de São Paulo.

Sem partido

Mesmo com as pretensões de se tornar elegível esse ano, Weintraub segue sem estar associado a um partido político. Em novembro, quando o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio oficializou o pedido de filiação ao PMN (Partido da Mobilização Nacional), ele convidou o ex-ministro para se juntar a ele.

"Quero fazer um convite público ao meu amigo, o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub: você é bem-vindo para ser candidato ao governo do estado [de São Paulo]", disse em vídeo.

Saída do Ministério

Weintraub deixou o cargo no governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) em junho de 2020, e, poucos dias depois, desembarcou nos Estados Unidos. Em julho, assumiu o cargo de diretor-executivo do Banco Mundial e foi reeleito em outubro.

Segundo publicou o jornal Folha de S.Paulo, a Associação de Funcionários do Banco Mundial pediu, em 2021, novas investigações sobre Weintraub — desta vez por espalhar desinformação durante uma pandemia e fazer campanha política para um cargo eletivo no Brasil.

Política