PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Olim sobre assédio a Isa Penna: 'Sorte dela'; deputada entrará com ação

Beatriz Gomes e Isabella Cavalcante

Do UOL e Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/04/2022 22h00Atualizada em 21/04/2022 15h05

O deputado estadual Delegado Olim (PP), membro do Conselho de Ética da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) e relator do caso Arthur do Val (União Brasil-SP), disse na noite de hoje que a deputada Isa Penna (PCdoB-SP) teve "sorte" por ter sido vítima de assédio sexual de um parlamentar e deverá se reeleger por causa da repercussão do caso.

A deputada foi vítima de assédio sexual pelo deputado estadual Fernando Cury (sem partido), que foi filmado, no plenário da Alesp, apalpando a parlamentar, em dezembro de 2020. Em nota ao UOL, a parlamentar disse que entrará com representação na Alesp contra Olim para pedir seu afastamento.

A declaração de Olim ocorreu na noite de hoje enquanto ele era entrevistado pelo comediante Rogério Vilela no podcast Inteligência Ltda.

Olim explicava as diferenças entre o caso de Arthur do Val, que renunciou ao cargo após ter áudios sexistas vazados, quando foi interrompido por Vilela, que disparou: "O cara deu uma apalpada nas tetas da mulher", disse o apresentador, em meio a risadas enquanto falava.

Isa Penna, que sorte a dela. Ela vai se eleger por causa disso [assédio de Cury]. Sim, ela só fala nisso. Delegado Olim em entrevista a um podcast

Na sequência, Olim minimizou caso de assédio sexual contra a parlamentar ao afirmar que Cury é um "cara do bem" e que nunca se esquecerá das acusações de assédio após o ato contra Isa Penna, que deve concorrer ao cargo de deputada federal no pleito deste ano. A Alesp decidiu afastar Cury do cargo por seis meses.

"Foi um dia, final de ano. Acho que ele [Cury] estava lá dentro dos gabinetes, ele bebeu. Porque ele é um cara do bem, todo mundo adora ele. Eu acho que o que ele fez ali ele também nunca mais vai esquecer na vida dele. Eu não queria estar no lugar dele, ficou ruim para ele e nunca vão esquecer. É como o próprio Arthur, ele pode fazer o que quiser, [e não vão esquecer]", disse Olim.

Um trecho compartilhado pelo MBL (Movimento Brasil Livre), no Twitter (veja abaixo), também mostrou Olim dizendo, no início do podcast, que tem um "pouquinho de bronca" de Isa desde a época da denúncia de assédio contra ela na Alesp. O delegado ainda se referiu ao caso de assédio sexual como "brincadeira".

As declarações ocorreram quando Olim estava relembrando que não conseguiu pronunciar a palavra "misógino" ao ler o relatório final do Conselho de Ética, que decidiu pela cassação de Do Val. Segundo ele, por estar sem óculos, não conseguiu enxergar a palavra correta e Isa "tirou sarro dele".

Assista ao vídeo com a fala do parlamentar:

"Seu comportamento é desrespeitoso não só comigo, mas com todas as mulheres que todos os dias lutam contra o machismo, muitas delas suas eleitoras", falou a deputada, por meio de nota.

"Assim como o deputado Arthur do Val, que tenta fugir da punição por ter, sim, dito frases sexistas e degradantes sobre as mulheres. Que seu caso sirva de lição para todos os parlamentares, que devem saber que os ataques contra as mulheres brasileiras serão, sim, punidos", completou.

Arthur do Val ataca relator: 'Fui cassado por quem eu sou'

Arthur do Val, que renunciou hoje ao cargo de deputado estadual, criticou o ex-colega de Casa e relator da sua cassação junto ao Conselho de Ética da Alesp.

"O relator que pediu minha cassação sobre o caso do deputado que assediou a colega: 'Foi uma brincadeira que ele fez com ela' e 'Sorte dela que vai ser reeleita por isso'", começou Do Val no Twitter.

Do Val ainda acrescentou fazendo críticas a Olim na publicação. "Tá mais do que claro que não fui cassado pelo que falei, mas por quem eu sou", finalizou Do Val.

Política